App da Mira Educação ajuda a diminuir evasão na rede estadual de MT

Cinthia Guedes
Escrito por Cinthia Guedes
app-Mira-MT-Inoveduc

Além das escolas da rede pública estadual do MT, app é usado como projeto-piloto em São Paulo (Foto: Reprodução)

Todos os dias surgem novas tecnologias na área educacional. Mas os aplicativos são as que ganham mais espaço para auxiliar a execução de tarefas que, até pouco tempo, só poderiam ser realizadas em agenda escolar, diário de classe ou na lousa. Criada em 2016, em São Paulo, a Mira Educação é um startup que desenvolve apps e softwares para apoiar o ensino na rede pública. Sua missão é gerar impacto positivo na proficiência de alunos em Matemática e Português.

“O principal objetivo da Mira Educação é impactar positivamente a educação brasileira. Para isso, a empresa desenvolve ferramentas que dão suporte e facilitam a rotina de professores e gestores. Além disso, leva informações sobre o cotidiano escolar para o dia a dia de pais e responsáveis. Essa é uma maneira de garantir uma melhora no processo educativo de crianças e jovens em grande escala”, disse Rangel Barbosa, CEO da Mira Educação.

Desde agosto, o app Mira Aula faz parte do cotidiano de 231 escolas estaduais do Mato Grosso. Também está em teste um piloto em São Paulo, na Escola Estadual Professor Odon Cavalcanti. A ferramenta substitui as cadernetas de papel e oferece aos professores agilidade no registro de faltas dos estudantes (por turma,disciplina e turno) e anotações sobre o conteúdo e habilidades trabalhadas em classe.

“A empresa investe em soluções simples aos usuários. Baixo custo a estados e municípios que entrega valor ao processo de aprendizagem de estudantes das redes públicas de ensino”, ressaltou Barbosa.

App pode ser integrado aos sistemas da rede pública

app-Mira-MT-conteudo-Inoveduc

Uma das interfaces do app Mira Aula

O aplicativo pode ser integrado ao sistema de qualquer rede pública de ensino. E é dessa forma que é feita a monetização da plataforma: a partir de licitações com governos estaduais e municipais e de investidores que acreditam na missão da Mira.

Em Mato Grosso, por exemplo, o app é interligado ao SigEduca, sistema oficial da Secretaria de Estado da Educação, Esporte e Lazer. Essa união facilita a rotina de professores e gestores e o armazena confiavelmente dados sobre a vida escolar dos 130 mil alunos da rede estadual impactados pelo projeto. O aplicativo pode ser integrado ao sistema de qualquer rede pública de ensino.

. Prefeitura de Salvador adota pacote de inovação e tecnologia nas escolas
Lançamento da plataforma Pró-Escolas traz MT para a era digital 

Diferentemente da maioria dos aplicativos, o Mira Aula funciona off-line, sem exigência de uma conexão Wi-Fi ou dados 3G/4G. O app também tem uma interface para atender pais e responsáveis.

Para isso, é preciso fazer um cadastro pelo telefone. A partir daí, o responsável recebe, gratuitamente, notificações sobre faltas via SMS. Também tem acesso a elogios relacionados ao comportamento, como participação nas aulas, entrega de tarefas e pontos a melhorar.

“O aplicativo e suas funcionalidades foram desenvolvidos a partir de centenas de entrevistas com professores e visitas a escolas públicas. O objetivo foi criar uma ferramenta adequada à educação pública e à realidade socioeconômica da população brasileira”, explicou o CEO.

Em dois meses, app já é usado por 7 mil professores

Com um pouco mais de dois meses no mercado em MT, o app está liberado para quase 7 mil professores. Desde o lançamento, foram mais de 3.600 downloads. Para 2018, além da expansão nas escolas mato-grossenses, a Mira Educação deve chegar à rede estadual do Mato Grosso do Sul.

“Pelo menos um professor já utiliza o Mira Aula em 85% das escolas participantes do projeto. São enviadas diariamente 6.500 mensagens aos pais e responsáveis cadastrados no sistema”, disse Rangel Barbosa.

[video_embed src=”https://youtube.com/embed/hmRZhnVXAKo”]

 

O trabalho desenvolvido deu à equipe da Mira Educação a oportunidade de ser uma das 16 startups finalistas da 2ª edição do Pitch Gov. O programa é do Governo do Estado de São Paulo, em parceria com a ABStartups. A competição busca projetos de jovens empresas da América Latina para desafios da administração pública em oito áreas. Incluindo a Educação.

. E-book feito em parceria com Future Education ensina a criar uma edtech
. O que os gestores pensam ao conhecer uma nova edtech?

“Para a Educação foram definidos 11 desafios. As soluções desenvolvidas pela Mira atacam dois dos problemas listados: como viabilizar um registro automático da presença ou ausência dos alunos nas aulas e como disponibilizar um sistema de acompanhamento da evolução do conteúdo, de acordo com o plano de ensino do professor”, destacou Barbosa.

Cinthia Guedes

Cinthia Guedes

[email protected]