A importância de novas abordagens para o sucesso da educação

A importância de novas abordagens para o sucesso da educação

Lars Janér
WhatsAppFacebookShare

Com a tarefa de orientar e inspirar a próxima geração de cidadãos, bem como abastecer o mercado global de trabalho com profissionais talentosos, os educadores estão sob a constante pressão de desafios. Por outro lado, com a diminuição dos orçamentos, o aumento das populações e uma concorrência global sem precedentes, a tarefa é cada vez mais difícil. Somado ao foco universal no preço, e no aumento do do alcance, a educação corre o risco de se tornar um produto padronizado, produzido em massa, com diminuição gradativa de valor.

Novos Problemas. Soluções antigas?

As soluções convencionais não serão suficientes para lidar com novas questões enfrentadas pelo mercado global de educação. As demandas de um mercado de trabalho imprevisível, com a automação ameaçando muitas profissões tradicionais, reforçam a tese de que as escolas e universidades devem repensar a educação que oferecem. Quando o uso de conhecimentos específicos na tomada de decisões se torna cada vez mais importante para os empregadores, a aprendizagem linear – com o conhecimento teórico sobre valorizado – não é mais a melhor maneira de proporcionar aos alunos as habilidades que precisam para a vida profissional.

Em vez de priorizar o desenvolvimento de competências que podem (e, em última análise, serão) comoditizadas, os professores precisam lançar as bases que encorajem o desenvolvimento de uma mentalidade mais erudita e multisciente.

Uma abordagem holística para a mudança

Assim, em vez de buscar soluções convencionais para a crise da educação, organizações como a UNESCO estão promovendo novas abordagens. Reconhecendo que a escolaridade tradicional é apenas uma parte da preparação dos jovens para trabalharem e viverem num cenário cada vez mais digital, a UNESCO sugere aos educadores olhar de forma mais holística para a experiência de ensino e aprendizagem.

A organização prioriza quatro pilares da aprendizagem: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a ser e aprender a conviver. Esta abordagem para a educação vai além da sala de aula e desenvolve as competências e os conhecimentos necessários à aprendizagem ao longo da vida.

Com base nesses princípios orientadores da UNESCO, os educadores em todo o mundo devem priorizar quatro áreas principais a fim de oferecer a melhor e mais atraente experiência educacional.

  1. Cidadania digital

Todas as etapas do ensino têm um papel fundamental na preparação dos jovens para participarem de um cenário onde a tecnologia e a convergência de mídias é crescente.

Assim como as disciplinas tradicionais proporcionam aos jovens os conhecimentos e habilidades para compreenderem o mundo –  o que inclui história, geografia, religiões, línguas e ciências – a educação também deve proporcionar conhecimentos para o mundo digital.

  1.  Foco no conhecimento prático

Priorizar a aplicação do conhecimento e do pensamento crítico é uma mudança pedagógica significativa, deixando de lado a aprendizagem puramente teórica. A capacidade de resolver problemas reais é fundamental para o desenvolvimento das habilidades necessárias na vida profissional. Esse tipo de abordagem tem um papel importante não apenas para o sucesso da carreira individual, mas também para as empresas, indústrias e setores econômicos.

  1. Uma abordagem mais colaborativa para a educação

Quando os alunos trabalham juntos, o desempenho melhora. Mas colaboração é mais do que proporcionar fóruns e feedback on-line aos alunos. Significa ajudar os jovens a aprenderem sobre convívio; estimular habilidades de comunicação que irão influenciar vários aspecto de suas vidas. Uma abordagem holística para a aprendizagem conectada combina a colaboração entre os estudantes, aprendizado em grupo e a colaboração entre pais e professores.

  1. Novas maneiras de medir

Assim como os educadores precisam fornecer uma educação mais completa, eles também devem adotar uma abordagem diferente para a mensuração, avaliando muito mais do que os aspectos acadêmicos. Assim como no mundo dos negócios, é importante aproveitar a vasta quantidade de dados na educação. As informações podem ajudar os educadores a avaliar o comportamento dos alunos, os conteúdos que de fato  estão sendo consumidos e onde os alunos estão tendo dificuldades. O uso dos dados permite aos professores personalizar o aprendizado, agregando ainda mais valor.

O papel fundamental da tecnologia

Encarar esses desafios não será fácil, e a pressão para oferecer novos modelos de educação significa que serão necessários novos métodos de entrega. O uso da tecnologia para ajudar na entrega de uma experiência de educação envolvente e motivadora não é mais um luxo, tornou-se uma necessidade. Elas podem ajudar as instituições a adaptar o modelo pedagógico e oferecer uma abordagem flexível, moderna e centrada no aluno.

O mais importante é que esses novos desafios exigem que todos trabalhemos juntos. Hoje, mais do que nunca, professores, pais, governos, financiadores, tecnólogos e estudantes devem se unir para trocar experiências e resolver de forma colaborativa os maiores desafios que a educação já teve que enfrentar.

Lars Janér

Lars Janér

Diretor para América Latina da Instructure (NYSE:INST), empresa americana desenvolvedora de software para ensino acadêmico e treinamento corporativo. Sua principal plataforma, Canvas, é utilizada por mais de três mil instituições de ensino no mundo, incluindo Harvard, Stanford, Wharton, Yale e Berkeley . Lançado mais recentemente, o software de treinamento corporativo Bridge foi escolhido por empresas como Tesla, Microsoft e Slack. Antes de assumir a posição atual, foi responsável pela operação no Brasil da Kaltura, plataforma de vídeo online líder nos mercados de educação e corporativo. Cursou graduação e mestrado em Administração de Empresas na PUC-Rio

Ver todas as postagens publicadas por Lars Janér