Além do livro – o futuro da educação

Cristiane Sanches

O alcance dos processos educacionais devem estar para além dos muros da escola, fomentando a apreensão do conhecimento. Em qualquer lugar, em qualquer tempo e por meio de qualquer artefato.

. Três aprendizados a serem considerados na hora de implementar um currículo socioemocional na sua escola

futuro-da-educacaoO uso da internet pode potencializar e ampliar esse alcance, construindo um cenário novo, interativo e interconectado, onde a escola deve ser vista como um organismo vivo, em constante transformação, que possa atender aos desafios e exigências cada vez maiores da nossa sociedade em rede e onde a pedagogia deve se basear no aprimoramento das novas formas de aprender, ensinar e avaliar.

. Painel na Bett Educar debateu como formar o educador no século 21

A era digital possibilita novas construções para apreensão do conhecimento, que têm potencial para ir além do livro didático e permitem que o aluno passe a explorar novos artefatos visuais e interativos. Com o crescimento exponencial das informações disponíveis, vivemos uma nova relação do aluno com o conteúdo, onde ele deixa de ser um mero consumidor e passa a interagir com a informação de forma dinâmica, produzindo conteúdo e tornando-se ativo no seu processo de aprendizagem.

Neste novo modelo, os professores muitas vezes aprendem ao mesmo tempo em que os estudantes. Por isso, necessitam atualizar continuamente tanto os seus saberes ‘disciplinares’ como suas competências pedagógicas.

Como o professor deve apontar para esse futuro?

A principal função do professor não é mais a de ser um simples difusor de conhecimento, que agora é feita de forma mais eficaz por outros meios. Sua competência deve deslocar-se no sentido de motivar e fomentar novas formas de agregar conhecimento, em face à abundância de conteúdo.

O protagonista agora é quem aprende e não mais quem ensina.

Em vez de aulas expositivas, os alunos devem ser desafiados a resolver problemas reais por meio do desenvolvimento de projetos alternativos e criativos, que tendem a ser inovadores. Ao desenvolver uma mentalidade de resolução de problemas, o aluno torna-se capaz de reconhecer esta como uma habilidade que pode ser melhorada intencionalmente.

E, ao avaliar o seu próprio processo, consegue propor estratégias para melhorar sua capacidade de lidar com novos problemas.

. Metodologias Ativas – Parte 1: Aprendizagem Baseada em Projetos
. Metodologias Ativas – Parte 2: Aprendizagem Baseada em Equipes
. Metodologias Ativas – Parte 3: Método do Caso

Quando conseguimos conectar alunos e professores a demandas da sociedade, permitimos que a escola se torne mais viva e mais próxima da realidade concreta e cotidiana de um mundo que pede cada vez mais por pessoas que sejam resilientes, criativas e inovadoras, que atuem de maneira interdisciplinar, que saibam resolver problemas e que não tenham apenas o hábito de consumir conhecimento para alimentar a vaidade intelectual.

Mas que, principalmente, tenham a capacidade de gerar transformação e produzir inovação.

Cristiane Sanches

Cristiane Sanches

Coordenadora de Tecnologia da Escola Eleva

Ver todas as postagens publicadas por Cristiane Sanches