Como a tecnologia pode ajudar a melhorar a educação no Brasil

Fábio Fernandes

O estudo Políticas de Tecnologia na Educação Brasileira, realizado pelo Cieb (Centro de Inovação para a Educação Brasileira), mostra que a evolução da educação digital no Brasil está atrelada a investimentos para a implantação de ferramentas, infraestrutura física, conexão banda larga de alta velocidade e equipamentos para uso administrativo e pedagógico em escolas públicas. Inclusive, essa iniciativa cada vez mais é apoiada por educadores.

. 7 previsões de tendências inovadoras em ensino-aprendizagem para 2018
. Relatório da Unicef define tecnologia como novo indicador de desigualdade

De acordo com pesquisa TIC Educação, do Cetic, 68% dos coordenadores pedagógicos brasileiros pesquisados têm preferência por escolher materiais didáticos que incluam ferramentas digitais. E isso tem uma razão: em um mundo cada vez mais tecnológico, é difícil despertar a atenção e interesse dos alunos com os métodos convencionais.

Mas a implantação das tecnologias da informação e comunicação (TICs) na educação vai além de prover acesso à tecnologia e automatizar práticas tradicionais. Elas têm de estar inseridas e integradas aos processos, agregando valor à atividade que o aluno ou o professor realiza, tal como acontece com a integração em atividades de outros segmentos laborais.

Educação-tecnologia-Inoveduc

Países desenvolvidos já entenderam essa proposta e estão investindo em salas de aula inteligentes, com recursos como projetores inteligentes, câmeras, sensores, lousas eletrônicas, microfones, sistema de áudio e vídeo, servidores (com edição automática e inteligente de imagens e interatividade em tempo real), scanner visualizador de papéis, entre outras ferramentas.

Com essas funcionalidades, além de alunos mais engajados, é possível estender o conteúdo aplicado para além do ambiente físico, alcançando aqueles que não podem se deslocar à escola.

Implementar tecnologia pode revolucionar o ensino

Também se verifica nesses países, o uso de plataformas de controle e integração entre entes governamentais, escolas e famílias visando, entre outras coisas, o controle dos gastos e da qualidade dos serviços educacionais entregues pelos dois primeiros e a participação ativa das famílias na definição e implantação das políticas públicas.

. Especialista fala sobre o que esperar da educação em 2018
. 4 dicas fundamentais para implantar edtech com sucesso na sua escola

É claro que a implantação e operação de todos estes recursos demanda a existência de uma infraestrutura adequada, com conexões em alta velocidade, serviços de gerenciamento e armazenamento de dados e plataformas consistentes para garantir o bom funcionamento das ferramentas.

Por isso, antes de pensar em investir em materiais tecnológicos, é fundamental que os governos, as escolas e a sociedade em geral estudem as possibilidades de inovação, escolhendo as ferramentas que mais se adequam às necessidades e o que precisa ser melhorado na infraestrutura existente.

A implantação de novas tecnologias é o início de algo que pode significar uma revolução no ensino.

Escolas conectadas à internet, ferramentas digitais, plataformas para compartilhar os recursos educacionais e outras ações ajudam a aplicar metodologias dinâmicas e mais efetivas de ensino, aproximando a escola com o universo conectado que o aluno já vivencia fora do ambiente escolar.

Além disso, é uma forma de garantir que todos os alunos tenham acesso aos mesmos conteúdos, gerando assim uma educação mais justa e igualitária.

Fábio Fernandes

Fábio Fernandes

Diretor de Negócios da ZTE. Profissional com mais de 20 anos de experiência em tecnologia, com experiência internacional em vendas, canais, projetos, soluções, TI, pré-vendas, marketing, software, serviços e produtos em vários países.

Ver todas as postagens publicadas por Fábio Fernandes