Como usar a nuvem para transformar a experiência em sala de aula

Antônio Moraes
WhatsAppFacebookShare

artigo antonio moraes inoveducA sociedade já adentrou na quarta revolução industrial, baseada em avanços tecnológicos como inteligência artificial e Internet das Coisas, mas o sistema educacional ainda tem muito pela frente para acompanhar as rápidas transformações. A boa notícia é que, para os educadores que estão dispostos a inovar, existem ferramentas simples que permitem construir conhecimento com engajamento dos jovens. Uma delas é o caderno de estudos na nuvem.

Por muito tempo, a maioria dos recursos promovia a transmissão do conhecimento de cima para baixo, a simples apresentação da informação. Hoje, estamos em outro momento histórico, com jovens que estão acostumados a participar de tudo, a interagir e opinar, e a tecnologia deve servir como base para a construção compartilhada do conhecimento.

Mas para se alcançar este resultado é fundamental que os professores tenham o domínio de determinadas ferramentas digitais, para que consigam utilizá-las de forma inovadora. Temos aqui um desafio: é comum educadores ainda sentirem dificuldades com o universo tecnológico e, mais do que isso, demonstrarem resistência ao uso.

É preciso que esses profissionais estejam sempre se atualizando, buscando novas formas de ensinar e também de aprender, para saber quais são os recursos que atendem às demandas da escola e da turma.

Certas ferramentas gratuitas hoje em dia, como o OneNote, caderno de anotação em nuvem da Microsoft, conferem autonomia aos jovens, uma vez que eles podem ter o acesso completo às matérias das aulas a qualquer hora e lugar. Isso lhes traz responsabilidade pelo próprio aprendizado e possibilita que eles se aprofundem nos temas trabalhados em sala de aula com conteúdos complementares, pesquisados na Internet, por exemplo.

Esse caderno tem algumas funcionalidades bastante interessantes, que foram elaboradas por engenheiros da computação especialmente para o contexto da sala de aula. O compartilhamento de mídias é uma delas. O usuário pode inserir qualquer tipo de conteúdo, como planilhas, gráficos e imagens que podem ser editados no próprio bloco de anotações. Também é possível editar as informações em grupo em tempo real, integrando tarefas e anotações com o serviço de correio de mensagens. E o melhor de tudo: os projetos podem ser acessados em diferentes tipos de dispositivos, pois a plataforma sincroniza as informações automaticamente.

Um recurso muito especial dentro do programa é o Learning Tools, um suplemento da barra de ferramentas que pode melhorar a experiência de leitura e escrita para todos os estudantes, incluindo aqueles com dificuldades de aprendizagem, como dislexia. Há relatos impressionantes de crianças que ganharam velocidade no ato de leitura, o que é muito gratificante de se ver.

A tecnologia nunca substituirá o ato de ensinar, mas ela pode fazer com que bons professores sejam ainda melhores. A familiaridade com o universo digital ajuda a diminuir a distância entre educadores e alunos e, a médio e longo prazo, garantir qualidade para a educação do país.

Antônio Moraes

Antônio Moraes

Diretor de Educação da Microsoft Brasil

 

Ver todas as postagens publicadas por Antônio Moraes