Quatro tendências que estão transformando a educação

Quatro tendências que estão transformando a educação

Lars Janér
WhatsAppFacebookShare

O mercado de educação tradicional, e de certa forma também o mundo do treinamento corporativo, parecem viver sob a constante expectativa de uma “revolução” iminente, de uma revisão completa do formato tradicional de sala de aula ou da forma como profissionais aprendem e se desenvolvem. As previsões sobre como a tecnologia vai redefinir por completo o conceito de educação vem desde os anos 80 – e o que se pode concluir visitando as salas de aula atuais é que, aparentemente, tudo não teria passado de promessas e ideias mirabolantes.

Mas a realidade, como sempre, é um pouco mais sutil do que isso: algumas das tendências atuais, como as quatro apresentadas abaixo, são de certa forma “silenciosas”, vêm transformando aos poucos, revolucionando a forma como  pessoas de todas as idades e regiões consomem conteúdo educacional, interagem com ele, aprendem e se desenvolvem pessoal e profissionalmente. São elas:

Artigo de Lars Janér sobre Educação
Lars Janér fala sobre tendências que estão transformando a educação

Analytics: aproveitando os dados

Big Data já está se tornando uma realidade para as instituições de ensino: o volume gerado de informações cresce exponencialmente e, finalmente, esses dados estão sendo analisados e utilizados de forma mais objetiva, com metas cada vez mais claras.

Um exemplo desse uso inteligente, com insights relevantes, diz respeito à retenção de alunos e aos modelos preditivos que hoje permitem intervenções cada vez mais cedo em situações de risco de abandono do curso. O retorno financeiro de uma ação dessas é evidente, mas o mais interessante é a possibilidade de adaptar e mudar a forma de ensinar, de disponibilizar conteúdo adicional, de efetivamente utilizar a tecnologia para enxergar de forma proativa as diferentes maneiras de como um aluno pode reencontrar sua motivação e se reengajar.

Isso vem acontecendo não apenas a nível institucional, mas também a nível de cada professor, de cada sala de aula. As plataformas de ensino online trazem uma riqueza de informações até então inéditas, que são a chave para repensar a abordagem com a turma toda e com cada um individualmente.

O próximo passo será o compartilhamento desses dados com a indústria como um todo, trazendo conhecimento sobre todo o sistema. Essa é uma das inúmeras vantagens da colaboração – o próximo tema dessa lista.

Tecnologias abertas: a vitória da colaboração

A internet já foi um enorme catalisador de mudanças no ensino, mas até recentemente a maior parte das instituições utilizava sistemas próprios, em seus servidores, muitas delas desenvolvidas internamente e sem possibilidade de uso por outras instituições. Isso era um obstáculo para a etapa seguinte ao compartilhamento de conteúdo: o compartilhamento de ferramentas inteiras, que podem ser usadas e modificadas por outros e assim beneficiar centenas de milhares de alunos.

As plataformas atuais, que funcionam na nuvem e estão sempre atualizadas, somadas às linguagens de desenvolvimento padronizadas geraram um boom de inovação.

Livres da necessidade de cuidar das funcionalidades básicas de tecnologia, as instituições já começaram a criar ferramentas inovadoras, compartilhadas em comunidades online, ganham novas formas e continuam crescendo – agora com a colaboração de milhares de desenvolvedores. Apps, plugins, softwares livres agora funcionam em qualquer sistema, em qualquer versão, em qualquer sala de aula.

Educação preparatória: ensinar para a vida

Um dos fatores que mais tem impulsionado transformações na educação é a pressão crescente de empresas que contratam profissionais recém-saídos das universidades – cujo conteúdo, em sua maioria, continua distante da realidade do mercado de trabalho. Os próprios alunos dessas instituições já ampliam o coro por mudanças, frustrados ao encontrar uma realidade para a qual não se sentem preparados.

A consequência desse movimento é cada vez mais um caminho de integração entre empresas e escolas, além de mudanças nas prioridades dentro de sala de aula: o foco muda do conteúdo e dos testes para a formação de pensamento crítico, resolução de problemas, desenvolvimento de habilidades e competências.

Os professores cada vez mais cultivam em seus alunos o gosto pela aprendizagem, que não se encerra na formatura e precisa continuar ao longo da carreira profissional.

Alunos 24/7: sempre aprendendo

A disponibilidade do material dos cursos, das palestras dos professores, do material complementar não está mais restrito aos horários e salas das instituições. O conteúdo específico das aulas, assim como os da internet, deve estar sempre ao alcance dos alunos – que aprendem em diferentes dispositivos e em diferentes horários do dia (ou da noite).

Essa liberdade e autonomia proporcionada pela tecnologia, que também beneficia os professores, que hoje corrigem provas nos seus tablets, é uma das que já se transformou em realidade, bem debaixo dos olhos de todos nós, que, quase imperceptivelmente, vamos testemunhando a evolução do ensino e sonhando com uma realidade transformadora para todas as crianças e os cidadãos.

Lars Janér

Lars Janér

Lars Janér é Diretor para América Latina da Instructure (NYSE:INST), empresa americana desenvolvedora de software para ensino acadêmico e treinamento corporativo. Sua principal plataforma, Canvas, é utilizada por mais de três mil instituições de ensino no mundo, incluindo Harvard, Stanford, Wharton, Yale e Berkeley . Lançado mais recentemente, o software de treinamento corporativo Bridge foi escolhido por empresas como Tesla, Microsoft e Slack. Antes de assumir a posição atual, Lars foi responsável pela operação no Brasil da Kaltura, plataforma de vídeo online líder nos mercados de educação e corporativo. Cursou graduação e mestrado em Administração de Empresas na PUC-Rio.

Ver todas as postagens publicadas por Lars Janér