Atividades plugadas e desplugadas aplicáveis à cultura digital

plugado-desplugado-artigo-marcio-goncalves
Marcio Gonçalves
Escrito por Marcio Gonçalves

Quando se fala em aprender fazendo, a dificuldade está em encontrar a melhor dinâmica a ser aplicada como exercício e que faça sentido entre teoria e prática.

Para auxiliar profissionais de educação no desenvolvimento das habilidades dos alunos nas aulas que atendam às orientações da Base Nacional Comum Curricular em relação à cultura digital, apresento aqui algumas atividades plugadas.

Ou seja, aquelas que podem ser desenvolvidas em computador ou em qualquer dispositivo móvel. As desplugadas são desenvolvidas em modo off-line.

Atividades plugadas ajudam a desenvolver a cultura digital

Para trabalhar o letramento digital de crianças, por exemplo, o site Escola Games ajuda bastante na prática de ler e escrever informações, códigos e sinais verbais com o uso do computador e demais dispositivos digitais.

Lá é possível acessar livros digitais com narração em áudio. Os jogos oferecidos são de níveis fácil, médio e difícil e têm integração com as disciplinas do eixo comum dos currículos do Fundamental I.

. Impactos da indústria 4.0 na cultura digital

Outra indicação de atividade plugada é o uso do Quick Draw — joguinho viciante que utiliza redes neurais para adivinhar seus desenhos — e do Autodraw — você começa a desenhar nele como se estivesse desenhando no Paint e, ao mesmo tempo, a inteligência artificial do Google tenta adivinhar o que você quer desenhar.

Para inserir o tema da Cidadania Digital, o material disponível para baixar no site Internet Segura é bastante útil como prática de uma atividade desplugada.

A cidadania digital deve tratar do uso da tecnologia de forma responsável pelas pessoas.

Temas como acesso digital, comunicação digital, direito digital, responsabilidade digital e segurança digital podem ser encontrados em exercícios de ligue os pontos, bingos, jogos da memória etc. Outra indicação é a cartilha do Cert.

As atividades práticas em sala de aula devem estar alinhadas com as habilidades propostas na Base Nacional Comum Curricular. Na medida em que nós, professores, descobrirmos novas fontes de exercícios, que elas sejam compartilhadas e comentadas aqui embaixo.

Marcio Gonçalves

Marcio Gonçalves

Líder do projeto “Aula Sem Paredes”, professor de cultura digital do Fundamental I e II na Escola Eliezer Max e docente no Ibmec, na Facha e na Unesa

Leave a Comment