Cieb indica competências necessárias para uso de TICs por professores

CIEB-TICs-professores-inoveduc-destaque
Letícia Santos
Escrito por Letícia Santos

BETT-EDUCAR-SELOProfissionais do setor educacional enfrentam um grande desafio quando o assunto é a implementação de práticas inovadoras nas escolas. Inovações educacionais não estão ligadas, apenas, a incorporação de ferramentas tecnológicas nos processos de aprendizagem. O ideal é que seja feita uma verdadeira mudança metodológica.

Diante disso, os próprios professores precisam desenvolver competências para que possam adotar, de forma adequada, o uso dessas tecnologias em suas aulas.

O Centro de Inovação para a Educação Brasileira (Cieb) trabalha em prol do desenvolvimento da educação pública brasileira por meio de processos inovadores e tecnológicos. A organização desenvolveu recentemente o estudo ‘Competências de Professores e Multiplicadores para uso de TICs na Educação’.

. Medo de inovar: por que professores do século 21 ainda passam por isso?

“O objetivo é que tenhamos profissionais capacitados dentro das suas próprias unidades escolares para utilizar adequadamente as tecnologias disponíveis, de forma que consigam promover a democratização desse processo”, disse Gabriela Gambi, coordenadora de políticas públicas do Cieb.

A diretora-presidente do Cieb, Lucia Dellagnelo, é uma das palestrantes da edição 2018 da Bett Brasil Educar, que acontece entre os dia 8 e 11 de maio, em São Paulo. A especialista falará sobre os caminhos para uma educação do século 21.

Estudo chama atenção para o uso ético de tecnologias educacionais

Gabriela ressaltou, ainda, que para desenvolver programas educacionais de inovação e tecnologia educacional é preciso analisar questões relacionadas a visão, competência, acesso a conteúdos digitais e infraestrutura.

O documento engloba 12 competências, divididas em três dimensões. A primeira é relacionada ao uso pedagógico das tecnologias. A segunda destaca quatro competências que preveem como o professor pode pautar debates sobre o uso social, ético, legal e cidadão das tecnologias educacionais e da própria conectividade dentro das escolas. A terceira dimensão é orientada para os próprios professores e aborda questões sobre o desenvolvimento e responsabilidade profissional.

Para a elaboração do estudo, o Cieb analisou competências desenvolvidas por três organizações, referências no assunto: Rede Enlaces (Chile), ISTE (EUA) e Unesco. Além disso, um grupo de especialistas contribuiu para a elaboração das estratégias definidas no documento. Participaram Germano Guimarães (Instituto Telos), Graziella Matarazzo (Instituto Telos), Marcia Padilha (Programa Criamundi), Maria Slemenson (Instituto Natura) e Priscila Gonsales (Educadigital).

. Teacherpreneur: saiba como se tornar um professor empreendedor
. Sincroniza Educação oferece inovação disruptiva às escolas

“O Cieb também desenvolveu uma matriz de competências nesse mesmo sentido para gestores e multiplicadores. Essas pessoas podem apoiar o professor no uso pedagógico de tecnologias em sala de aula”, explicou Gabriela.

Conheça as 12 competências de professores para o uso de TICs

Dimensão pedagógica

 

Dimensão social, ética, legal e cidadã

Dimensão de desenvolvimento e responsabilidade profissional

 

Letícia Santos

Letícia Santos

[email protected]