Como falar sobre edtech com os pais de sua escola

Diana De Medeiros
Escrito por Diana De Medeiros

Muito tem se discutido sobre novas tecnologias aplicadas à educação, sobre o desafio dos professores para se capacitar nesse novo cenário e sobre o crescimento das startups de EdTech em todo o mundo. Mas e os pais? Será que eles estão prontos para as inovações? E mais: será que eles percebem a importância, a relevância e a efetividade das ferramentas tecnológicas no aprendizado de seus filhos?

A colunista Erin Gohl, do site Getting Smart, abordou este tema em recente artigo. Apesar de algumas das ferramentas citadas por ela não serem utilizadas no Brasil – ou não terem versões em outras línguas -, vale a reflexão. Confira abaixo o artigo (cuja versão original pode ser lida aqui):

Como falar sobre EdTech com os pais de sua escola

Artigo discute a visão dos pais sobre EdTech nas escolas

Em recente reunião da PTA (Parent-Teacher Association) em uma escola de ensino primário, os pais discutiram um plano para doar milhares de dólares para financiar novas compras de tecnologia para a escola. Enquanto muitos estavam entusiasmados, no meio da discussão uma das mães chegou ir às lágrimas, aterrorizada com a ideia de a criança passar horas na frente de uma tela.

Para ela, a tecnologia na sala de aula equivale simplesmente a planilhas digitais e vídeos que substituem a instrução do professor. A visão desta mãe sobre o potencial investimento em tecnologia educacional era de que este criaria ambientes de sala de aula caracterizados pelo isolamento, passividade e consumo de informação.

educacao-hacker-inoveducConversei com alguns dos pais que partilharam dessa preocupação durante a discussão. Eles descreveram o tipo de ambiente de aprendizagem que esperavam que seus filhos pudessem ter. Os pais queriam que seus filhos se sentissem confortáveis ​​participando e compartilhando sua voz e perspectiva. Desejavam ambientes que incentivassem a curiosidade e a investigação das crianças. Esperavam que os estudantes tivessem oportunidades de colaborar com os outros. Queriam que seus filhos fossem expostos a experiências além das paredes da sala de aula. E enfatizaram a necessidade de as crianças estarem preparadas para enfrentar todos os desafios que possam enfrentar no ensino fundamental, no ensino médio e além. E, principalmente, esses pais queriam que seus filhos ficassem entusiasmados com a aprendizagem.

Embora exista uma grande variação entre as salas de aula, as escolas e os distritos em termos de estruturas e abordagens, a maioria dos educadores se esforçam exatamente em criar esses tipos de ambientes de aprendizagem envolventes, receptivos, dinâmicos e até divertidos para seus alunos.

. O que pensam os professores sobre o uso de tecnologia nas salas de aula?

A luta, muitas vezes, é encontrar os meios para tornar este objetivo possível, dadas as restrições de tempo, dinheiro e de padrões estaduais. Mas mesmo que um distrito esteja cumprindo esses objetivos, os pais talvez não vejam isso, e suas preocupações tendem a continuar. Abaixo, elaborei uma base de discussão para educadores e EdLeaders que enfrentam essas preocupações, juntamente com algumas ferramentas que você pode usar para demonstrar a eficácia potencial da EdTech.

Ferramentas para criar e expressar

A tecnologia dá aos alunos as ferramentas para materializar o que só poderia ser imaginado no mundo físico. Os alunos podem mostrar sua aprendizagem de maneiras expandidas, combinando e utilizando múltiplos meios, salvando múltiplas versões e tendo suas criações compartilhadas além das paredes da sala de aula. A capacidade de criar, editar e combinar texto, gráficos, som e vídeo permite múltiplas variações na expressão do aluno. Isso atrai estudantes com diferentes estilos de aprendizagem e preferências, e permite várias possibilidades de edição e revisão de professores e colegas.

. O que os gestores pensam ao conhecer uma nova EdTech?

Os educadores geralmente se limitam a avaliar o conhecimento dos alunos através de uma resposta a uma pergunta sobre um assunto ou fato particular. A medida da compreensão dos alunos é limitada aos limites dessa questão. Professores e pais lamentaram durante anos que esses testes não refletem o que seus alunos sabem e podem fazer. Alternativamente, quando os alunos têm permissão, encorajamento e, às vezes, até mesmo exigência de serem avaliados por conteúdos ou trabalhos criados por eles mesmos para mostrar o que aprenderam, os professores vêem a expressão do conhecimento dos alunos. Esses trabalhos e produtos fornecem uma melhor visão sobre a variedade de compreensão, conhecimentos e habilidades de cada aluno.

Além disso, a criação é verdadeiramente a oportunidade do aluno de manifestar a compreensão. As demandas intelectuais de rigor e profundidade são muito maiores durante os atos de criação. Os “criadores” devem levar em conta o que estão tentando dizer, o público a quem eles estão dizendo, e garantir que efetivamente transmitem essa mensagem. A criação permite – e até mesmo exige – que os alunos exercem a escolha, capacitando-os a ter a sua visão e sua voz próprias incluídas na demonstração de suas habilidades.

Ferramentas para demonstrar

  • Canva: os alunos podem usar o Canva para criar infográficos, que são representações visuais de informações ou dados. Os estudantes pesquisam, apresentam suas informações por escrito e usam habilidades de alfabetização digital para criar o produto final.
  • Wondershare Filmora: estudantes, pais e professores consideram que esta ferramenta de criação e edição de vídeo apresenta uma excelente conjunção de funcionalidades divertidas e fáceis de usar. Não requer conhecimentos técnicos, mas fornece uma grande variedade de efeitos especiais.
  • Storybird: Criar um livro é uma maneira real de os alunos perceberem que têm voz e muitas histórias para contar. Esta plataforma fácil de usar permite aos alunos combinar texto, fotos, arte e outros elementos para editar e publicar suas histórias.

Conectando estudantes a pessoas e lugares ao redor do mundo

Capacidade de trabalhar em grupo é um dos aspectos presentes na Educação Baseada em CompetênciasA tecnologia pode levar o mundo à ponta dos dedos de um estudante. Nossa conectividade aumentou enormemente o número de pessoas com as quais os alunos podem se conectar. Permitiu que essa conexão acontecesse simultaneamente em grandes distâncias físicas. Os alunos podem interagir com colegas em todo o mundo através de voz, vídeo, compartilhamento de projetos e documentos e a capacidade de responder, questionar e editar o trabalho uns dos outros.

. Picting na sala de aula: como usar Snapchat, Youtube e Instagram

Neste mundo globalmente conectado, é fundamental para os alunos compreenderem a própria comunidade, criar representações de suas próprias experiências e apresentá-las às pessoas em outros lugares. Expressar suas próprias experiências para os outros e ouvir e aprender sobre essas mesmas coisas dá aos alunos voz e exposição. Através deste diálogo, os alunos podem se reconhecer e se identificar nas dúvidas e nos problemas que enfrentam.

Ferramentas para demonstrar

  • Global Scholars: este programa de ensino médio gratuito combina o melhor de aprendizagem baseada em projetos, engajamento da comunidade e tecnologia. Os alunos trabalham em pequenas equipes com colegas locais em um projeto para estudar e melhorar sua comunidade e se conectar e colaborar com outras equipes em outros continentes fazendo o mesmo. Combina educação cívica local, interação global, alfabetização digital e aprendizagem baseada em projetos.
  • Taking it Global: Conectando alunos com colegas em torno de questões tanto locais como globais, esta plataforma fornece um senso de comunidade e as ferramentas para agir. Estudantes e professores podem encontrar outros com preocupações semelhantes e determinar seu nível de engajamento no desafio ou tarefa.
  • Google Expeditions: Este é um recurso de realidade virtual que permite que os alunos façam passeios imersivos em todo o universo. Usando óculos de realidade virtual, telefones celulares e o aplicativo Expedições, os estudantes podem visitar terrenos remotos e até se aventurar no espaço exterior. Com uma conexão de roteador, grupos de estudantes podem experimentar uma viagem juntos, com indivíduos explorando e direcionando o destino como quiserem.

Colaboração e Engajamento

Os alunos podem mais facilmente colaborar e trabalhar uns com os outros usando ferramentas digitais. A tecnologia permite que os alunos vejam o trabalho um do outro e respondam em tempo real. Usando dispositivos e programas baseados em tecnologia colaborativa, os alunos podem trabalhar em um tema ou problema comum, capturar dados e distribuir imediatamente para um grupo, analisar esses dados e trabalhar em apresentações de forma síncrona ou assíncrona, independentemente da localização.

. Competições de e-esporte pretendem incentivar a gamificação nas escolas

Os nativos digitais presumem que a interação e a colaboração são componentes da maioria das experiências. Sua aprendizagem não é diferente. A maioria dos estudantes concorda que jogar um jogo é melhor do que ouvir uma palestra. Aprender qualquer assunto é uma jornada que agora pode ser transformada em um jogo. A tecnologia aumentou a velocidade de produção desses jogos e a capacidade de utilizar esses jogos para fornecer feedback aos professores, alunos e pais. Editores e professores produziram uma ampla gama de experiências de aprendizagem gamificadas que vão desde reforçar habilidades específicas de gramática até a navegação no universo da história.

Ferramentas para demonstrar

  • Padlet: com suporte para uma ampla variedade de idiomas, tipos de arquivos e dispositivos, esta ferramenta pode ser usada como um repositório para o pensamento individual ou grupal. Os alunos adoram o feedback instantâneo que podem fornecer uns aos outros e a capacidade de estruturar os conteúdos de várias maneiras a torna adaptável a muitas situações.
  • Flipgrid: os alunos já fazem parte de muitas comunidades. Esta plataforma permite que estudantes e professores criem e formatem comunidades em torno de uma identidade, interesse ou causa de sua preferência.
  • Vocabulary.com: transformando o domínio das palavras em um jogo, com recompensas individuais e escolares, esta ferramenta torna a aprendizagem de novas palavras tão significativa quanto divertida. Pode ser usada de forma autônoma para alguns alunos, como sistema para aulas ou escolas, ou incorporado em um sistema de gerenciamento de aprendizagem para inclusão em planos de aula.

‘A tecnologia da educação é uma ferramenta poderosa’

A maioria dos educadores tem objetivos semelhantes: eles querem que os alunos tenham as habilidades, o conhecimento e a motivação para enfrentar com sucesso os desafios do futuro. É mais fácil falar isso do que fazer. Gerações anteriores de professores não podiam imaginar um mundo onde temos nos nossos bolsos acesso instantâneo a informações ilimitadas. E os educadores contemporâneos devem preparar os alunos para enfrentar os desafios do futuro sem saber quais são esses desafios. A tecnologia da educação é uma ferramenta poderosa para realizar essas esperanças.

Para que a tecnologia da educação atinja todo o seu potencial na preparação dos alunos para o futuro, o diálogo deve começar com um envolvimento ambicioso e respeitoso entre todas as partes interessadas, incluindo pais, professores, administradores e estudantes.
Os defensores da EdTech devem chegar a essa mãe que foi levada às lágrimas pela idéia de mais tecnologia na vida de seu filho. Quando os alunos estiverem criando, conectando e colaborando com base na tecnologia, as discussões sobre investimentos em tecnologia ganharão sorrisos ansiosos, no lugar de lágrimas de insegurança.

. E-BOOK FEITO EM PARCERIA COM FUTURE EDUCATION ENSINA A CRIAR UMA EDTECH

Diana De Medeiros

Diana De Medeiros