Edtech porque somos, todos, meio netizen!

edtech-cloud-inoveduc
Ricardo Veríssimo
Escrito por Ricardo Veríssimo

O que é edtech? Como assim eu sou netizen? O que é isso? Vamos lá. Se você vive a maior parte do seu tempo em atividades conectado na internet você é um netizen — ou seja, um cidadão digital.

Muito provavelmente, você não é um nativo digital, mas com certeza tem um em casa e esse nativo digital, netizen por natureza, aprende melhor usando edtech. É desse maravilhoso mundo novo que falaremos neste artigo e porque você deve estar preparado para ele.

Antes de definir melhor o que é edtech para os que ainda não conhecem esse termo, quero falar em que ambiente ele acontece e para quem se destina o edtech.

Se você tem uma criança ou adolescente em casa, já percebeu que eles trocam a televisão pelo YouTube, as bonecas e carrinhos pelas telas touchscreen de celulares e tablets. O notebook, muitas vezes, para os bebês nem chamam atenção; é uma tecnologia inadequada para a usabilidade deles, pois, essa geração é nativa digital e gosta de conexão e mobilidade juntas, na palma da mão.

São milhares de crianças e adolescentes que não sentem atração pela forma antiga de como nós, não nativos digitais, víamos o mundo. A lente deles de enxergar o mundo é muito diferente da nossa.

Educar essa geração totalmente conectada na internet, que assiste mais YouTube que televisão, que tira foto do quadro da escola e/ou faculdade ao invés de escrever, que tem tudo no celular, se comunica mais através de celulares e computadores que olhando um para o outro — ensinar a esse público tem sido um desafio. O modelo está tentando se adaptar a essa realidade.

Edtech é isso: a junção de educação e tecnologia

Antes, a tecnologia era um braço de apoio para educação. Hoje já começa a ser imprescindível e desassociada da educação. Edtech é o uso intensivo e integrado de softwares, redes sociais, plataformas de educação online, aplicativos, simuladores 3D, games educativos para celular, tablet, notebook. São canetas que leem o que está escrito em inglês no papel para você, óculos 3D aplicados ao ensino de ciências, são aulas em quadros interativos, etc.

Edtech é um dos setores mais relevantes da modernidade, e se você está em busca de crescimento no mercado profissional — ou de se manter vivo nele —, precisa entender deste mercado, pois o futuro do trabalho e do ensino inegavelmente passará por ele.

Não existe mais volta para a integração da tecnologia e da educação. Logo, no futuro, quando você for se aperfeiçoar profissionalmente passará pelo uso da tecnologia aliada à educação.

Infelizmente, só a política ainda não entendeu que mudar o Brasil passa por investimentos em tecnologia, pesquisa e educação. São orçamentos bem pequenos comparados a gastos futuros oriundos da não educação.

O mundo está em evolução. Sempre esteve. Porém, ela agora é mais rápida, o volume de informações disponíveis é absurdo, e o desafio é como lidar com excesso de informação, pois informação não é poder, e sim conhecimento, e conhecimento vem de quanto de informação você consegue aprender.

. E-book feito em parceria com Future Education ensina a criar uma edtech

O setor de edtech cresce velozmente. Por esse motivo, a tecnologia, se bem aplicada na educação, aumenta significativamente a retenção de informação, que se torna conhecimento. E, além disso, torna mais prazeroso o aprendizado. Quando aprendemos usando mais de um sentido (audição, visão, tato, olfato), cientificamente aumenta a retenção de informação.

. O que os gestores pensam ao conhecer uma nova edtech?

Outro alerta que você, profissional deve ficar atento, é que cresce cada vez mais o número de startups que atuam no setor edtech. E a tendência é aumentar ainda mais.

A Boston Consulting Group acredita que, em 2025, 25% dos empregos sejam substituídos por softwares ou robôs. Já um estudo da Universidade de Oxford, no Reino Unido, acredita que 35% dos atuais empregos no país correm o risco de serem automatizados nas próximas duas décadas. Sua profissão, muito provavelmente, deixará de existir ou será integrada a uma tecnologia para não morrer com a evolução tecnológica.

O Brasil tem mais de 50 milhões de estudantes, aproximadamente 2 milhões de professores e mais de 200 mil instituições de ensino reguladas (dados do IBGE).

É inegável que em nosso Brasil varonil, principalmente na educação pública, existem obstáculos imensos no setor educacional, que está longe de ser eficiente na educação tradicional de giz branco, quadros negros, cadernos e lápis. Quanto mais quando o assunto é aliar educação e tecnologia com segmento edtech.

Não vou desqualificar todas as ações da educação pública; existem algumas muito boas, porém insuficientes perante o tamanho da necessidade. Diante deste cenário de obstáculos a serem vencidos, temos uma oportunidade imensa onde podem (e serão) aplicadas tecnologias do setor edtech.

Onde há problemas existem soluções para resolver. E onde há soluções, há mercado em potencial para geração de empregos e empresas.

Quais são os principais desafios a serem desenvolvidos pelo setor edtech?

São os seguintes:

Como posso me preparar para o mercado promissor edtech

Existe ainda muito espaço a ser preenchido no mercado edtech, e muitas portas a serem abertas nos próximos anos. Só no setor de educação pública, onde não há quase nenhuma implantação de tecnologias no mercado de ensino, existe um mercado enorme, já que aproximadamente 78% da educação no Brasil é pública.

Se você quer se preparar para esse mercado precisa ter conhecimentos em metodologia de ensino e tecnologias. Um mercado que precisará de muitos desenvolvedores de sistemas e profissionais que conhecem de pedagogia, diretrizes de educação, tudo o que é necessário para criar tecnologias alinhadas as necessidades da educação. Não adianta criar uma tecnologia fantástica que não possa atender as diretrizes básicas da educação.

Olhando de forma bem rasteira, você pode enxergar quem vai precisar de edtech nos próximos anos. É só olhar quem precisa mudar do papel para o digital, do quadro negro para o quadro interativo.

Se você já é do setor da educação, fique atento. Evolua para não ser pego de surpresa quando a tecnologia invadir de vez sua praia. Se você é empresário do setor de educação e ensino, pense de que forma o que é feito no método tradicional pode ser feito de forma digitalizada.

. Teacherpreneur: saiba como se tornar um professor empreendedor

Se você ainda não consegue enxergar, dê uma passeada pela internet e veja quantos segmentos já ensinam por meio de plataformas 100% online, quantas pessoas fornecem ensino e mentoria pelo WhatsApp, rompendo fronteiras físicas. Pesquise sobre o aumento do ensino EAD.

Ricardo Veríssimo

Ricardo Veríssimo

Consultor, administrador, palestrante, professor universitário, empresário, radialista e escritor de diversos livros. Detentor do Selo Empreendedor Sustentável concedido pelo programa internacional LiveWire (no Brasil, Iniciativa Jovem) com a chancela da Unesco.