Estudantes do ensino médio aprendem programação em Python no Colégio Vértice

Juliana Favorito
Escrito por Juliana Favorito

Os alunos do primeiro e segundo anos do ensino médio do Colégio Vértice aprendem a programar em Python desenvolvendo um jogo de batalha naval. A ideia de utilizar esse tipo de ensino na escola surgiu após o professor e engenheiro mecatrônico Eduardo Pereira Ayres Netto ter tido dificuldade na disciplina quando iniciou a faculdade.

Alunos aprendem programação em Python no Colégio Vértice (Foto: divulgação)

Segundo Ayres Netto, o objetivo de utilizar essa metodologia é quebrar a barreira inicial que os estudantes têm sobre programação para desmistificar o tema. O professor também explicou o motivo da escolha do Python para ensinar os alunos a programarem:

“A facilidade sintática possibilita trabalhar mais a lógica do que erros simples de sintaxe. E a popularidade no mercado atual serve como uma boa introdução, caso algum aluno queira seguir nesse ramo profissionalmente.”

O ensino do Python é importante para que os estudantes aprendam na prática como algo funciona. Além disso, a programação trabalha com diversas habilidades adjacentes a criar um programa.

Alunos criam jogo de batalha naval por meio de programação

O projeto de criar o jogo é dividido em três partes: na primeira os alunos, junto com o professor, decidem em conjunto qual será o planejamento. Nessa fase são propostas algumas ideias pelo tutor e os estudantes. Depois é realizada uma votação para decidir qual projeto será feito.

A segunda etapa é o desenvolvimento. O professor explicou que nesse momento são decididos quais são as funções necessárias para realizar o projeto. “Montamos em casa um ‘gabarito’ e percorremos em sala com os alunos a lógica por trás do seu funcionamento, tentando implementar novas ideias e tirando dúvidas.”

. Robótica ajuda alunos a desenvolverem projetos no Colégio Poliedro

A última etapa é deixar os alunos testarem o projeto no computador. Permitindo que eles tentem achar os erros no código para poderem corrigir. Eduardo ainda comentou que as aulas tornam-se dinâmicas, porque os alunos interagem mais, levando dúvidas tanto de lógica quanto de sintaxe do código.

“Nas aulas teóricas, apresentamos conceitos de Python e demonstramos alguns exemplos. Com isso, os alunos propõem sempre novas situações que extrapolam os conceitos básicos. Além de demonstrarem interesse e curiosidade. Já nas aulas de projeto tentamos implementar as ideias deles, abordando maneiras de como estruturar um pensamento para bolar um programa.”

Programação em Python desenvolve diversas habilidades

A programação ajuda a desenvolver diversas habilidades dos alunos, incluindo a lógica e a resolução de problemas. A primeira aparece ao criar o código, manipulando as funções para realizarem uma tarefa que satisfaça uma necessidade. Já a segunda, surge quando o aluno precisa melhorar esse código, deixando-o correto ou mais eficiente.

Essa metodologia beneficia os alunos por treinar essas competências e ainda aproximá-los de uma cultura de programação. Isso porque é possível simular o processo lógico para a criação de um programa.

. Escola de robótica tem ensino baseado na experiência dos alunos

Outra vantagem de ensinar programação é que os alunos também aprendem Matemática e Português — a parte de Gramática. Isso porque em Python a linguagem apresenta sintaxe. Eduardo Ayres Netto disse que o retorno por parte dos alunos é positivo, pois estão sempre trazendo perguntas além dos temas tratados.

“Após as aulas, geralmente os alunos ficam alguns minutos a mais para discutirem assuntos atuais sobre tecnologia, como inteligência artificial.”

Juliana Favorito

Juliana Favorito

[email protected]