Escola de programação e criação digital Ironhack chega ao Brasil

Letícia Santos
Escrito por Letícia Santos

Em 2013, os sócios Ariel Quiñones e Gonzalo Manrique observaram que as pessoas faziam investimentos em qualificação profissional, mas não conseguiam emprego. Em contrapartida, no mercado de tecnologia — um dos que mais oferecem vagas hoje em dia — faltavam profissionais qualificados.

Diante desse cenário, os empreendedores criaram a Ironhack, uma escola de programação e criação digital que oferece qualificação profissional em tecnologia.

. Microsoft: realidade mista, AI e computação quântica são futuro da aprendizagem

“Ensinamos JavaScript como principal linguagem no nosso programa de Web Development, já que é a linguagem mais requisitada e valorizada pelo mercado de trabalho”, explicou Pedro Falkenbach, Growth Manager da Ironhack no Brasil.

Além disso, os alunos da Ironhack recebem orientações sobre como preparar um bom currículo e se comportar em uma entrevista de emprego, entre outras dicas para obter sucesso no mercado de trabalho.

Ironhack enxerga mercado de tecnologia brasileiro como promissor

Atualmente, a startup atua em oito cidades ao redor do mundo. Está presente na Cidade do México, em Madrid, Amsterdam, Barcelona, Berlim, Miami, Paris e São Paulo. A unidade brasileira foi inaugurada no dia 27 de junho deste ano.

O Growth Manager da Ironhack no Brasil destacou que o mercado de tecnologia brasileiro é grande e está em plena expansão. Por conta disso, é importante reforçar os investimentos em ensino de programação e criação digital no país.

. Currículo de programação da Apple permeia cursos da MadCode

“Aprender programação é uma forma de as pessoas conseguirem melhores postos de trabalho ou mudar de carreira. Além disso, há um ganho para o Brasil, uma vez que as empresas não precisarão recorrer a profissionais estrangeiros para preencher vagas ou prestar serviços.”

Falkenbach apontou alguns dados que ajudam a justificar o interesse da startup por São Paulo.

  • De acordo com o relatório Startup Genome 2017, o valor do ecossistema em São Paulo é de $3,45 bilhões, o maior da América Latina.
  • São Paulo é # 22 no Global Startup Ecosystem Report 2017 e # 1 não apenas no Brasil, mas também na América Latina
  • São Paulo tem até 2.700 startups de tecnologia ativas e em crescimento

“Vemos em São Paulo a oportunidade perfeita para juntar essa demanda por desenvolvedores e capacitar os profissionais para que possam preencher essas posições.”

Alunos podem trabalhar os conceitos de forma prática e colaborativa

Desde seu surgimento, a Ironhack já formou 1.500 alunos em mais de 70 países. A startup realiza um processo seletivo com os interessados nos cursos para avaliar o perfil e a motivação dos estudantes.

Os alunos fazem também um “pré work”, onde são ensinados alguns conceitos básicos de programação antes do primeiro dia de aulas. O objetivo é garantir que todos estejam no mesmo nível, em relação aos conhecimentos básicos, antes de iniciar o curso.

No entanto, Falkenbach ressaltou que para estudar na escola não é preciso ter experiência prévia.

O curso é dividido em três módulos, estruturados da seguinte forma:

  • Front End de formatação: onde os alunos aprendem toda a parte de Html e css
  • Back End: momento em que são ensinadas questões sobre servidores, bancos de dados, entre outros.
  • Mescla dos módulos 1 e 2 e projeto final

“As aulas são bem dinâmicas e misturam teoria com prática. Todos os dias têm lições expositivas, sessões de programação em dupla e exercícios”, reforçou Falkenbach.

Startup planeja ampliar sua oferta de cursos

Escola oferece qualificação profissional em tecnologia (Foto: Divulgação)

Outra iniciativa da Ironhack é organizar o que eles chamam de “Semana da Contratação”, ao final de cada turma. O evento conta com a participação de empresas de todos os portes — nacionais, multinacionais, startups e tradicionais — que estão em busca de desenvolvedores Full Stack.

Os representantes das empresas podem aproveitar esse momento para conversar com os recém-formados. E até contratá-los.

“Mundialmente, temos uma taxa de contratação de 85% em até três meses após a conclusão do curso. Estamos confiantes de que, no Brasil, esse índice se mantenha ou seja superior.”

. Ilumno traz cursos de empreendedorismo da Babson College para o Brasil

A startup trabalha, agora, na ampliação da oferta de cursos. Em outubro, terá início a primeira turma do curso de Web Development. Em 2019, serão oferecidos também os cursos de UX, UI e Data Analysis.

Veja também

Letícia Santos

Letícia Santos

[email protected]