Impactos da indústria 4.0 na cultura digital

industria-4-0-destaque
Marcio Gonçalves
Escrito por Marcio Gonçalves

O Brasil investe na Indústria 4.0 ou na Quarta Revolução Industrial. É uma expressão que engloba algumas tecnologias para automação e troca de dados e utiliza conceitos de Sistemas ciber-físicos, Internet das Coisas e Computação em Nuvem.

No artigo anterior, intitulado Alfabetização Midiática e Informacional na Prática , abordei sobre o letramento midiático. De que forma, portanto, se preparar e/ou orientar estudantes para o entendimento desse movimento que implica novos letramentos para entender a nova indústria?

Internet das Coisas representa a possibilidade de que objetos físicos estejam conectados à internet podendo, assim, executar de forma coordenada uma determinada ação. Um exemplo seriam os carros autônomos.

. Como a educação 4.0 mudará nossas escolas?

Na Internet das Coisas, os objetos participam dos processos sociais e de negócios mediados pelo controle humano dos movimentos programados. Nas escolas, disciplinas como programação, robótica e “cultura maker” buscam preparar os jovens para esse avanço tecnológico.

. Ciberarquitetura pode alterar relações de ensino-aprendizagem

Na computação em nuvem, por exemplo, são esquecidos os CDs e pen-drives por conta da possibilidade de produzir e compartilhar informações em ambientes digitais de guarda de enorme volume de ideias. Transportar dados de um lado para o outro agora é verbo. Compartilhar informação, de maneira que haja transparência, é uma cultura que ainda precisa ganhar amplitude.

Nas escolas ou nas empresas, ganha muito aqueles que souberem dividir os projetos e ações que estão desempenhando. Compartilhar vale tanto quanto ter uma ideia.

Velhas e novas profissões

Inteligência Artificial (IA) e Impressoras 3D vão ganhar cada vez mais destaques nas relações comerciais. Jogos para compor músicas, como o Chrome Music Lab , já utilizam a IA para permitir que brinquemos de músico. Crianças, jovens e adultos estarão envolvidos em simuladores programados para experimentar situações estabelecidas pela IA. Neste caso, teoria musical junto desta tecnologia amplia os interesses dos estudantes pelo lado lúdico que a música pode oferecer.

Se quiserem jogar xadrez com um robô por aqui, é só apertar o play.

Programar algo que ganhe uma impressão personalizada em ambiente 3D também vai ser muito presente daqui para frente. Em laboratórios de cultura maker, por exemplo, como aqueles que são orientados no currículo do Nave à Vela, a impressora 3D é uma realidade.

Nas escolas que buscam excelência no ensino, o estudante é capaz de entender o verdadeiro sentido do uso de uma impressora 3D e compreender como um pensamento interdisciplinar dá para ser desenvolvido.

. Nave à Vela apresenta proposta de cultura maker nas escolas
. Drone Kids School ensina ciências em curso de pilotagem de drones

Como ocupar as novas profissões diante deste avanço da indústria 4.0?

É um assunto de gente grande que deve ser levado para dentro das escolas nas quais as crianças e jovens de hoje devem estar preparados para este cenário de novas oportunidades. Surgem funções e cargos novos e, sobretudo, aparecem grandes perspectivas para a evolução dos relacionamentos das empresas com os consumidores.

Marcio Gonçalves

Marcio Gonçalves

Líder do projeto “Aula Sem Paredes”, professor de cultura digital do Fundamental I e II na Escola Eliezer Max e docente no Ibmec, na Facha e na Unesa