3 maneiras de implementar o 'blended learning' na sala de aula - Inoveduc

3 maneiras de implementar o ‘blended learning’ na sala de aula

WhatsAppFacebookShare

blended learning getting smart inoveducAs melhores práticas para implementar o ensino híbrido, ou blended learning, na sala de aula são tópicos recorrentes de discussão na educação. A meta de muitos educadores é encontrar definições claras sobre o significado desses termos e seus benefícios.

Professora de língua estrangeira e STEAM no Riverview High em Oakmont, Pensilvânia (EUA), Rachelle Dene Poth abordou o assunto recentemente, em artigo publicado no site Getting Smart. O texto traz algumas dicas práticas, inclusive.

De acordo com Rachelle, há muitos recursos e formas de se manter informado sobre este tema. Indica, até, uma seleção diversificada de livros e blogs — como o livro Blended, de Michael B. Horn e Heather Staker, e, claro, o Getting Smart. Além de participação em eventos de edtech.

“Tudo isso é ótimo para encontrar exemplos, modelos, ferramentas e ideias. Mas mesmo com todas essas opções, às vezes é mais valioso arriscar e tentar algo por conta própria”, disse a educadora americana.

‘Blended learning’ pode levar algum tempo para ser implementado

Os resultados nem sempre serão os mesmos para cada professor, sala de aula ou aluno, “mas vale a pena tentar”, segundo Rachelle.

Existem diferentes modelos para implementar o aprendizado combinado e o método utilizado variará dependendo da sua sala de aula. Mas começar pode levar algum risco de exploração e, definitivamente, tempo.

“Recomendo começar com um método — se você vir efeitos positivos, que tenha mais tempo para colaborar na aula e seus alunos estão mais comprometidos, então, continue. Caso contrário, use esta oportunidade como forma de aprender mais sobre seus alunos e suas necessidades.”3Formas blended learning Inoveduc

Confira dicas para aplicar o ‘blended learning’ em sala de aula

Pela sua experiência, Rachelle indicou três pontos básicos como maneiras diferentes de usar a tecnologia a favor da implementação do “blended learning”. Também apontou algumas ferramentas que podem oferecer métodos de aprendizagem inovadores ou criativos em sala de aula.

“Como professores, precisamos constantemente refletir sobre nossos métodos e incentivar a auto-avaliação com nossos alunos, todos parte de aprender e crescer juntos”, disse a professora.

1. ‘Blended’ com vídeos

Como saber o que os alunos ganharam com a experiência de usar vídeos na sala de aula? Rachelle indica algumas ferramentas, como EDpuzzle e PlayPosit, que permitem que os alunos interajam com o vídeo.

“Ao responder às perguntas, [os alunos] são responsabilizados pelo material e podem mostrar o que estão aprendendo. O professor tem feedback instantâneo e pode entender melhor como os alunos estão aprendendo e fornecer instruções mais personalizadas”, explicou.

As ferramentas também podem ser usadas para o professor criar lições.

2. Jogos na lição de casa

Alguns dos jogos indicados por Rachelle são: Kahoot, Quizizz e Quizlet. “Criar um jogo com qualquer um desses três aplicativos é simples”, ressaltou Rachelle.

A professora disse que os app servem para tornar a lição de casa diferenciada. Dessa forma, faz com que os alunos criem algo mais personalizado, e depois compartilhar esses novos recursos com colegas em aula.

3. Além do espaço escolar

Rachelle também indicou ferramentas para que os alunos façam brainstorm, discutam tópicos ou escrevam reflexões. A qualquer momento e de qualquer lugar.

“Por exemplo, o Padlet é um “muro virtual” onde os professores podem publicar questões de discussão, pedir aos alunos que façam idéias, publicar links de projetos e muito mais”, disse. E indicou que os professores usem as postagens como iniciadores de discussão na próxima classe.

Os wikispaces, segundo Rachelle, também podem ser usados ​​da mesma maneira. “Crie um Wiki para os estudantes criarem páginas de perfil, compartilharem informações e responderem a tópicos de discussão.”

A ideia é que os alunos possam fazer algumas dessas atividades fora do período da sala de aula. E, em seguida, os professores podem planejar atividades que ofereçam oportunidades para envolver os alunos com seus colegas.

“Mesmo que todos envolvam tecnologia em algum nível, são ferramentas interativas para se envolver estudantes, expandir as paredes da sala de aula e oferecer aos alunos a oportunidade de fazer mais do que apenas sentar e aprender”, explicou.

De acordo com a professora de STEAM, ao dar aos alunos a chance de fazer mais do que absorver informações, criar, projetar e pensar criticamente, o professo não só lhes dá o conhecimento, mas os encoraja a criar seu próprio caminho para o sucesso.

Leia o artigo original no site Getting Smart.
Siga Rachelle Dene Poth no Twitter: @rdene915
Débora Thomé

Débora Thomé

Editora-chefe
debora.thome@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Débora Thomé