Ânima fecha parceria com Finlândia para formação de professores

A Finlândia é uma das principais referências quando o assunto é inovação em educação. O país lidera o ranking do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) na Europa desde seu lançamento, no ano 2000.

Recentemente, o grupo Ânima firmou uma parceria com a Universidade de Tampere. O objetivo é aprimorar a qualidade dos serviços oferecidos por suas instituições.

Equipe da Ânima e da Finlândia no lançamento da parceria em Belo Horizonte (Foto: Divulgação)

. Na Finlândia, os alunos dão aula de tecnologia para seus professores

Com essa parceria, serão oferecidos programas de formação para professores de certificação internacional. Só em 2018, serão abertas três novas turmas. O curso terá uma carga horária de 270 horas durante seis a oito meses.

“Nos sentimos honrados em firmar esse acordo de cooperação com uma instituição que é referência mundial na formação de professores e queremos aprofundar cada vez mais essa parceria”, comemorou a diretora de inovação acadêmica da Ânima, Inês Barreto.

Curso será ministrado em um modelo de ensino híbrido

O “Programa Internacional de Certificação Docente no Ensino Superior” tem o objetivo de ajudar professores, pesquisadores e surpevisores a construir um currículo de excelência e criar ambientes e processos de aprendizagem diferenciados e inovadores. Dessa forma, pretende-se melhorar a qualidade do ensino dos alunos.

“A proposta do programa é capacitar o participante para o pleno exercício da docência no ensino superior, por meio do desenvolvimento de competências pedagógicas que resultem em excelência curricular, processos de aprendizagem com alta qualidade e em ambientes inovadores”, ressaltou Inês.

O curso é baseado em modelo de ensino híbrido. Serão realizados três encontros presenciais de uma semana no Brasil, e os módulos poderão ser acessados digitalmente em um ambiente virtual de aprendizagem. O curso está dividido em quatro módulos:

  • Aprendizagem e engajamento dos alunos
  • Criando processos e ambientes de aprendizagem
  • Tópicos especiais do ensino na universidade
  • Construindo conhecimentos pela prática e pela troca de experiências

Processos pedagógicos precisam ser repensados

A diretora explicou que 35 vagas serão reservadas a professores de outras IES. Para participar, esses professores deverão atender a alguns requisitos necessários, como fluência no inglês, titulação mínima de mestrado, postura reflexiva sobre o processo de ensino e aprendizagem.

“A composição de grupos multidisciplinares na seleção também é de fundamental importância para o desenvolvimento do curso”, explicou.

Inês alertou que os professores precisam se atualizar para atender às novas necessidades dos estudantes.

Nesse processo de transformação, Inês destacou que é importante repensar os planos pedagógicos e as metodologias para ajudar os estudantes a desenvolver habilidades necessárias para encarar esses novos desafios.

. Especialista defende uso das metodologias ativas em sala de aula

“As chances de um educador conseguir desenvolver em seu aluno essas habilidades são ampliadas quando se trabalha em ambientes colaborativos, espaços que realmente favorecem o trabalho em equipe de maneira autêntica”, enfatizou.