App de questões em forma de game dinamiza aulas e o aprendizado

WhatsAppFacebookShare

O uso de celulares, notebooks e outros aparelhos eletrônicos, que antes eram vistos como vilões dos professores, estão se tornando aliados no processo de aprendizagem dos alunos dentro e fora das salas de aulas.

“Nos dias de hoje, é imprescindível incorporar ferramentas tecnológicas na educação por vários motivos. O principal deles é que o avanço da tecnologia mudou de forma decisiva a sociedade”, disse a professsora de Inglês Cristina Large.

O Quizlet, ferramenta online de estudos, é um exemplo de aplicativo que possibilita os alunos estudarem onde e na hora que quiserem, já que está disponível no computador e para download nas plataformas Android, iOS e Windowns Phone.

O aplicativo foi criado por um estudante de 15 anos, em 2005, para que ele e seus amigos pudessem aprender Francês. O idealizador do Quizlet trabalhou na plataforma durante todo o ensino médio e a faculdade. Doze anos depois, o aplicativo é usado por 25 milhões de pessoas, mensalmente.

Para Matthew Glotzbach, CEO da Quizlet, os professores usam o aplicativo em sala de aula para animar seus alunos e ajudá-los, mostrando formas diferentes e mais eficazes para estudar.

“Os professores podem revisar o vocabulário de um idioma ou os principais conceitos de História, Biologia e outras disciplinas com a atividade ‘Cartões’, ou estimular os estudantes com jogos competitivos como ‘Gravity’ e ‘Quizlet Live'”, disse Matthew, por e-mail.

Uso de aplicativos auxilia estudos

“O objetivo do Quizlet é usar a tecnologia para apoiar e capacitar as pessoas.” Adepta do aplicativo como ferramenta de aprendizagem para promover autonomia dos alunos, Cristina disse que normalmente propõe o uso do Quizlet nas aulas cujo conteúdo requer memorização de vocabulário, como phrasal verbs.

“Depois de criar os ‘study cards’ no sistema, eu os disponibilizo e os alunos estudam na sala de aula, com seus laptops, ou em casa.”

  

Além de usá-lo para auxiliar a memorização dos vocabulários, a professora também utiliza outra dinâmica que os alunos gostam muito. Nessa, eles montam times, separados por assuntos, e criam o próprio material no Quizlet.

“Antes de uma prova, para revisar vários conteúdos, cada time monta um quiz sobre um assunto, em sala de aula. Depois que todos os times criaram seus materiais no Quizlet, eles desafiam uns aos outros entrando nos quizzes que os amigos fizeram.”

Para Cristina, dessa maneira os alunos se tornam mais ativos no processo de aprendizagem, pois eles mesmos criam o material de ensino.

Embora alguns educadores ainda tenham resistência com a implementação de programas tecnológicos em salas de aulas, a professora ressalta que os professores não podem ensinar alunos do século XXI como antigamente.

“Nas situações da vida real, o jovem clica, responde, curte, salva, deleta, baixa, adiciona, mixa… Hoje em dia não faz sentido para ele certas práticas que não acompanham a maneira como ele pensa e responde aos estímulos. Devemos desafiá-lo mais, pois o desafio anda junto com a aprendizagem. E a tecnologia proporciona um mundo de desafios.”

De acordo com Mattew, o mundo está mudando e há muitos dispositivos e aplicativos que competem pela atenção dos alunos, assim, para mantê-los focados e entusiasmados com sua educação, é preciso criar grandes ferramentas educacionais em celulares e computadores que possam ir a qualquer lugar com os alunos.

“Procure saber mais sobre o que está funcionando em outras salas de aula e discuta sobre quais outras tecnologias os professores gostam. Se há algo que possa ajudar na aprendizagem, experimente!”, aconselhou o CEO ao ressaltar sobre a importância dos professores entenderem quais as possibilidades que sua sala de aula e alunos têm acesso. “Se a sua escola não tem acesso a wi-fi ou dispositivos, pode não ser possível usar uma nova tecnologia na sala de aula, mas seus alunos poderão acessá-la em seus dispositivos em casa, por exemplo.”

Caminhando pela mesma linha de pensamento de Matthew, Cristina defendeu que o uso de aplicativos como aliados na formação dos alunos mostram a eles que o saber pode ser adquirido o tempo todo. Sobretudo, a quantidade de recursos disponíveis permite a todos ter acesso à informação que, com a intervenção adequada, torna-se conhecimento. “Acredito que essa intervenção ainda é encontrada na escola, com o professor.”

Quizlet firma parceria com a Fundação Lemann

Com o objetivo de melhorar o padrão de aprendizagem no Brasil através do uso da tecnologia, a Quizlet firmou parceria com a Fundação Lemann. A previsão é que, até o final do ano, a plataforma seja utilizada por mais de um milhão de estudantes no país.

A empresa norte-americana passará a participar do programa “Escolas Plugadas”, da Fundação. O projeto busca concetar empreendedores a educadores e distribuir tecnologia de alto impacto para as escolas públicas.

Matthew disse que a empresa está “verdadeiramente energizada” com o impacto que pode ter sobre os estudantes brasileiros. “Ficamos impressionados e inspirados pelo trabalho da Fundação e sentimos que seus valores se alinham com o da Quizlet”, disse.

Cinthia Guedes

Cinthia Guedes

cinthia.guedes@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Cinthia Guedes