Colégio de SP investe em cybersecurity para assegurar inovação

Colégio de SP investe em cybersecurity para assegurar inovação

WhatsAppFacebookShare

colegio-porto-seguro-cybersecurity-inoveduc

Incorporar o uso de tecnologias nas metodologias de ensino pode ser muito eficaz para a assimilação dos conteúdos pelos alunos. No entanto, as instituições devem ficar atentas a outros aspectos que o aumento do uso de tecnologias por alunos e professores podem causar, como falhas nas redes de TI.

O Colégio Visconde de Porto Seguro, fundado em 1878 em São Paulo, decidiu investir no monitoramento de toda a infraestrutura de TI, redes, internet e wifi para proteger seus dados e administrar ocorrências mais facilmente.

“Identificamos a necessidade de um maior controle de nossa infraestrutura no momento em que a tecnologia passou a ser ferramenta presente e indispensável para nossos professores dentro da sala de aula”, disse Júlio César Benedito, gerente de infraestrutura de TI do colégio.

Segundo o gerente, com a demanda crescente de recursos de TI, um sistema de monitoramento mais eficiente se tornou primordial. Dessa forma é mais fácil identificar falhas, inconformidades e inconstâncias no ambiente.

Ferramenta tem fácil implementação e custos acessíveis

“Qualquer período de tempo que um recurso como link de internet ou servidor esteja indisponível, mesmo dez minutos, representa uma lacuna enorme dentro de uma aula de 45 minutos. Toda a atuação da equipe de infraestrutura baseia-se em manter a maior disponibilidade possível do ambiente para evitar aulas perdidas e alunos e professores frustrados”, explicou o gerente.

O colégio usa o software PRTG Network Monitor, da Paessler AG, especializado em monitoramento de redes. Benedito explicou que a descoberta do software foi feita por uma pesquisa na internet.

colegio-porto-seguro-Dashboard-Principal-inoveduc
Dashboard principal do programa usado pelo colégio (Foto: Divulgação)

Um dos critérios analisados na escolha foi a facilidade na implementação do programa, que dispensa a contratação de uma consultoria especializada. Os custos acessíveis também contribuíram para a decisão. Foi feito um teste com a versão gratuita da ferramenta para verificar sua funcionalidade prática.

“Os indicadores de desempenho de processos do PRTG, mostraram-se eficientes para prevenção e redução de tempo na resolução de incidentes. Anteriormente, utilizávamos outro software e pela facilidade de implantação do PRTG a opção pela mudança veio naturalmente”, explicou Júlio.

Software atua de maneira imediata na resolução de problemas

Após a análise da funcionalidade do software, a escola optou pelo investimento. O custo inicial para aquisição das licenças (apenas do software) foi de R$20 mil. A escola ainda paga, anualmente, R$4.500, para renovação do suporte e atualizações.

O gerente da infraestrutura de TI destacou algumas vantagens que a ferramenta apresenta:

  • Diagnóstico rápido de incidentes na rede, proporcionado uma ação imediata para solução do problema
  • Identificação de “gargalos” quanto ao consumo dos links de internet
  • Coleta dos logs dos dispositivos conectados à rede

Para Júlio César Benedito, o investimento em ferramentas como essa é importante também por conta da ampliação da oferta de atividades no modelo de ensino a distância (EAD) nas instituições brasileiras: “Ferramentas como o PRTG são indispensáveis para os dias atuais.”

Letícia Santos

Letícia Santos

leticia.santos@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Letícia Santos