Com novo modelo de negócios, SmartLab traz novidades

BETT-EDUCAR-SELOApós aumentar o portfólio de soluções tecnológicas, a SmartLab diversificou a forma como disponibiliza esses recursos, chamados de Labs, para as escolas. Se, até o ano passado, as instituições de ensino custeavam um valor único para ter acesso aos conteúdos de 11 parceiros que integravam a plataforma. A partir deste ano há três planos, com possibilidades progressivas de contratação das inovações, voltadas para incrementar a área pedagógica.

No SmartLab básico, com custo de R$180 por aluno e por ano, as escolas têm acesso a labs sobre Matemática e compreensão leitora em Português e Inglês. No SmartLab Plus, além desses, é possível acessar soluções para ensino de robótica, prototipagem, cidadania digital, apoio escolar, Ciências e Educação Financeira. O custo aluno-ano é de R$240.

. Microsoft: Realidade Mista, AI e computação quântica são futuro da aprendizagem

No plano SmartLab Full, as escolas podem usar todos as soluções tecnológicas que fazem parte da plataforma da instituição. São, ao todo, 50, de 23 parceiros. O investimento, nesse caso, é de R$500 por aluno e ano do colégio. Em todos os casos, os valores pagos incluem a formação permanente dos professores. No plano Full, caso sejam inseridas novas soluções, não haverá custo adicional.

“Fizemos essa mudança no modelo de negócios para tornar as soluções mais acessíveis para as escolas”, diz o gerente comercial e de Marketing do SmartLab, Moacir Nobrega.

SmartLab recebeu R$25 milhões de investimento

Criada há três anos, a empresa vem sendo acelerada pelo Grupo Santillana, um dos maiores do mundo no mercado editorial. Serão investidos, nos dez primeiros anos de funcionamento do SmartLab, um montante de R$25 milhões. Estes recursos têm permitido à empresa ampliar, a cada ano, sua participação no mercado.

Moacir Nobrega, diretor de Marketing da Smart Lab, fala sobre os planos de expansão da empresa
Moacir Nobrega destacou uma das novidades da Smart Lab: o uso da realidade virtual

Atualmente, 37 escolas, sendo 12 privadas e 25 públicas, adotam as soluções da SmartLab. Mais de 20 mil alunos são alcançados, metade das redes públicas de ensino. A meta para os próximos três anos é fazer esse número de estudantes saltar para 100 mil, considerando-se as duas redes.

Google e Microsoft, segundo Moacir Nobrega, são os principais parceiros de criação de conteúdos para a SmartLab. Este ano, a grande novidade é a entrada de labs que possibilitam uso da realidade virtual.

“Este ano, estamos trazendo o Minecraft Education e com demonstração em realidade virtual, que é a principal tendência nas empresas de educação atualmente. E estamos mostrando como esse recurso funciona com outros labs”, completa Moacir Nobrega.