Competição internacional propõe imaginar a educação em 2049

WhatsAppFacebookShare

Os avanços tecnológicos das últimas décadas mudaram a maneira de aprender. Com isso, urge que sejam feitas profundas mudanças nas formas de ensinar. Nas universidades de todo o mundo, professores e estudantes são cotidianamente desafiados por novos aparatos e demandas. Mas incluir dispositivos tecnológicos na mediação do conhecimento já não é suficiente. É preciso buscar novos paradigmas educacionais.

Este é, justamente, o mote do TecPrize 2018, promovido pelo Instituto Tecnológico de Moterrey (México), com apoio do Banco Santander, que oferece prêmios de até US$2 milhões.

 

O TecPrize é uma plataforma virtual de competições globais que busca soluções inovadoras para melhorar a educação superior.

Integram a iniciativa o Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT), a Universidade Nacional Autónoma de México (Unam), a Universidade de Glasgow (Escócia), a Universidade de Barcelona, a Universidade Autônoma de Buenos Aires e a Universidade Católica de Chile.

A novidade deste ano é participação também da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), recém-convidada a compor o Conselho de assessores do projeto.

Mariano Laplane, diretor-executivo de Relações Internacionais da Unicamp (Foto:Dario Crispim/Unicamp)

“É uma excelente oportunidade para Unicamp no sentido de expandir as fronteiras do impacto de sua atuação na geração conhecimento e, também, receber da sociedade estímulos e incentivos que possam orientar nossa reflexão e pesquisa”, observou Mariano Laplane, diretor-executivo de Relações internacionais da Unicamp.

Segundo Laplane, a participação no conselho permitirá à instituição contribuir e propor futuros desafios. Tanto em níveis locais e regionais quanto globais.

TecPrize 2018 será formado por três etapas

A competição deste ano será composta por três etapas. A primeira, “10x Learning Prize”, é um concurso de narrativas de ficção científica. Os participantes devem imaginar como será a educação em 2049. As histórias podem ser contadas em quadrinhos, contos ou curtas-metragem.

O melhor curta-metragem receberá o prêmio de US$12 mil. Para o melhor conto e a melhor história em quadrinhos, o prêmio será de US$4 mil cada. Os trabalhos devem ser submetidos até 27 de abril, na plataforma. Podem participar interessados de todo o mundo, independentemente de idade ou formação.

. Aluno da Unicamp vence Game Academicxs e ganha bolsa nos EUA

“Buscamos pessoas interessadas em gerar mudanças positivas e inovadoras, aqueles que não temem fracassos, que os vêm como oportunidades de aprendizagem, que gostam de desafios e trabalho duro”, disse Salvador Alva, presidente do Instituto Tecnológico de Monterrey, para a Unam Global, portal de notícias da Universidade Nacional Autónoma de México.

Nas etapas seguintes, pesquisadores, empreendedores e representantes da indústria tecnológica serão chamados para propor soluções. Os participantes também precisarão desenvolver formas de implantação para os desafios que emergirem das histórias imaginadas na primeira etapa.

Os prêmios do TecPrize totalizam entre US$100 mil e US$2 milhões.