Conecturma: onde a tecnologia permite manter a motivação da aprendizagem - Inoveduc

Conecturma: onde a tecnologia permite manter a motivação da aprendizagem

WhatsAppFacebookShare

Site do Conecturma

“Os modelos de escola e de ensino estão completamente ultrapassados”, criticou Rafael Parente, CEO da Conecturma (Aondê) ao ser questionado sobre a importância de se pensar em novas metodologias de ensino.

Rafael ressaltou que é preciso se aproximar da realidade das crianças e utilizar a linguagem delas para alcançar os melhores resultados. “No entanto, não é preciso abandonar as velhas tecnologias para utilizarmos as novas. Um equilíbrio gera melhores resultados.”

O Conecturma é uma metodologia de aprendizagem de Língua Portuguesa, Matemática e habilidades sócio-emocionais que propõe a combinação de vários elementos a fim de otimizar o processo de aprendizagem dos alunos.
Infográfico ConecturmaA plataforma digital online utilizada é adaptativa, gamificada e gera relatórios específicos sobre o andamento de cada aluno. “Além disso, formamos os professores para que eles respeitem a singularidade e as necessidades de cada criança”, explicou Rafael.

A Conecturma procura trabalhar com seus alunos dez macro competências. “Elas são desenvolvidas, principalmente, a partir de projetos e atividades em pares e pequenos grupos, em que os alunos são desafiados a criar algo com base em um conhecimento já adquirido”, enfatizou.

Conecturma Macro competências

‘Não existe aluno desmotivado com a Conecturma’

A professora Joselaine Castro, atua na Escola Municipal de Ensino Fundamental Nossa Senhora Aparecida, em Viamão-RS, onde faz uso da tecnologia durante as aulas. Joselaine explicou que o maior cuidado que os professores devem ter é justamente saber utilizar os diferentes materiais disponíveis.

“É preciso aproveitar ao máximo o material didático, os vídeos e a plataforma virtual para complementação das aulas. Tudo está interligado, o que faz as aulas serem mais atrativas e de fácil compreensão.”

Joselaine destacou, também, as principais mudanças comportamentais que foram percebidas após a implementação da tecnologia nas aulas: “A motivação, o interesse, a participação e até mesmo o trabalho em equipe, pois quando alguém apresenta uma maior dificuldade sempre tem um colega para auxiliar na tarefa ou nos jogos. Eles trabalham juntos para avançar nos desafios e nos jogos”.

Além de impactar nas relações de ensino/aprendizagem, esse modelo de ensino facilita o trabalho do professor.

“A metodologia vai de encontro ao tradicional, pois com ela temos aulas dinâmicas e com participação ativa dos alunos. Por ser um material completo, só precisamos seguir as orientações e aplicar a metodologia em sala de aula”, disse Joselaine.

Metodologia baseada nas principais macrotêndencias educacionais

A metodologia está em seu terceiro ano e já foi aplicada em sete redes de ensino e 35 escolas em todo o país. No primeiro ano, foi elaborado um projeto piloto aplicado para 1.500 alunos, e no segundo foi realizado o aprimoramento da metodologia e iniciou o processo de venda.

Rafael descreveu o desenvolvimento da metodologia. “Foi desenvolvida a partir de pesquisas com materiais didáticos de vários países do mundo e observando as principais macrotendências educacionais, como a personalização, a aprendizagem baseada em projetos, a gamificação e a utilização dos avanços das neurociências e das novas tecnologias.”

O CEO explicou, ainda, que o serviço é vendido e inclui no seu valor a formação e o acompanhamento dos professores, além da entrega dos materiais. Em relação aos custos de implementação, é cobrado R$300 por aluno. No valor estão inclusos os livros de Língua Portuguesa, Matemática e paradidáticos, além da plataforma digital on e offline e a formação e o acompanhamento dos professores.
Por Letícia Santos (leticia.santos@folhadirigida.com.br)

Débora Thomé

Débora Thomé

Editora-chefe
debora.thome@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Débora Thomé