Diretrizes da BNCC norteiam uso da tecnologia na educação básica

BETT-EDUCAR-SELOEntre as competências gerais da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), duas abordam com mais ênfase as questões referentes a inovação e tecnologia. A competência número 4 estipula o uso de diferentes linguagens, inclusive a digital, para expressar e partilhar informações. E na quinta competência está determinada a utilização e criação de tecnologias digitais de forma crítica, reflexiva e ética.

. Conheça a importância das dez competências da BNCC, segundo especialistas

Embora as diretrizes da BNCC ultrapassem os aspectos tecnológicos, o documento reconhece que essas ferramentas podem ser grandes aliadas no desenvolvimento de habilidades cognitivas e socioemocionais com as crianças. O assunto será debatido no congresso da Bett Brasil Educar 2018, que acontece entre 8 e 11 de maio, em São Paulo.

Para Guiomar, a tecnologia contribui para a aprendizagem baseada em projetos. Segundo a educadora, a tecnologia não aparece isoladamente no documento. Já que a ideia é aliar esse recurso a todo o processo pedagógico. E de forma inteligente.

Implementação de tecnologia requer planejamento

“Para inovar com as tecnologias é preciso ter clareza de todos os fazeres pedagógicos. No projeto, no plano de ensino, na sequência didática, nas competências e habilidades que se quer desenvolver e na avaliação. Quem domina bem esse processo está em boa posição para explorar o que de melhor a tecnologia pode fornecer”, destacou Guiomar.

A educadora ressaltou, ainda, que um grande desafio para a implementação de tecnologia nos processos educacionais é a preparação dos professores para essa prática.

“Primeiro, os professores precisam incorporar a tecnologia em sua vida profissional. Também precisam aprender com ela, dominar o recurso para poder ter segurança de utilizar em sala de aula”, alertou.

Anne Taffin, integrante do Conselho Consultivo da Bett Brasil Educar 2018, enfatizou que as escolas precisam avaliar suas intenções antes de implementar tecnologia em sala de aula.

“É preciso saber onde se quer chegar e o que é necessário para alcançar esses objetivos. A partir daí podem solicitar ajuda dos governos ou iniciativa da privada”, destacou a conselheira.

Especialista desataca importância de formar ‘criadores de tecnologia’

Além disso, para atender às recomendações da BNCC, especificamente no que diz respeito à implementação de tecnologia como ferramenta pedagógica, é importante os professores estabelecerem uma conexão entre os conteúdos e a tecnologia disponível para cada faixa etária.

“Para se prepararem para esse desafio, será fundamental estarem familiarizados com as propostas apresentadas pela BNCC. E também pesquisar, com interesse, inovações disponíveis que podem contribuir para esses encontros, como aplicativos, instrumentos e materiais específicos”, explicou Anne.

Anne lamentou que o documento não especifique com clareza a formação de alunos para que se tornem criadores de tecnologia. Segundo a especialista, apenas formar usuários competentes não é suficiente.

. Lego Education auxilia escolas na adequação às propostas da BNCC
. Inserir habilidades socioemocionais nos currículos é o desafio

Para Anne, a tecnologia pode ser uma verdadeira aliada na articulação de conhecimentos. “Se aplicadas de forma consciente e responsável, as tecnologias podem contribuir muito para as escolas se adequarem às determinações das bases”, defendeu a especialista.