Livro da DSOP sobre educação financeira usa realidade aumentada para cativar crianças

DSOP expõe primeiro livro de educação financeira em realidade aumentada

WhatsAppFacebookShare
Angelo Magalhães, da DSOP, fala sobre o livro criado para crianças, que permite uso da tecnologia da realidade aumentada
Angelo Magalhães diz que uso da realidade aumentada torna a leitura do livro mais divertida para a criança.

Em seu stand na Feira Bett Educar, a DSOP apresentou às instituições de ensino o primeiro livro sobre educação financeira com realidade aumentada do país. Voltada para o público infantil, a publicação tem como objetivo levar a crianças conceitos de uso racional e consciente do dinheiro.

Ricamente ilustrado, o livro “Diário dos Sonhos” conta as histórias do pequeno Nico, um menino que, como toda criança, tem muitas coisas que deseja mais do que tudo na vida. Na medida em que ele realiza esses sonhos, aprende, entre outras coisas, a importância de poupar para realizar seus objetivos.

O livro custa R$39,90 e pode ser adquirido em qualquer livraria ou pela internet. Quem compra a abra pode ter acesso a um aplicativo de realidade aumentada da DSOP. Com ele, basta o leitor posicionar um tablet ou telefone celular para ver as imagens se transformando em pequenas animações e jogos.

Segundo Angelo Magalhães, gestor da DSOP, o objetivo do livro é trabalhar com as crianças, conceitos importantes relacionados à educação financeira, como o de sustentabilidade, consumo responsável, sonho coletivo e planejamento para a realização de objetivos. E tudo isso de forma divertida e lúdica.

“O balanço em relação a esse projeto é muito positivo. As crianças demonstram gostar muito dessa possibilidade de ter um livro no formato impresso e ainda em realidade aumentada“, ressalta Angelo Magalhães.

A DSOP também desenvolve um programa especial para permitir o uso do livro “Diário dos Sonhos” por escolas. Com valores a partir de R$49,90 a unidade, a instituição de ensino recebe a publicação, tem seus professores capacitados para utilizá-lo da forma mais apropriada junto aos alunos e ainda recebe material específico para os pais dos estudantes. Dependendo do número de alunos da instituição interessada, o valor por estudante pode ser menor.

“Pelo programa, os professores são capacitados para ensinar educação financeira. Inclusive, eles e a própria escola recebem certificado. Outro diferencial é que o projeto também pode ser trabalhado em escolas bilingues”, salienta o gestor da DSOP.

Renato Deccache

Renato Deccache

renato.deccache@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Renato Deccache