Elefante Letrado: jogos e animação para criar hábito de leitura em crianças

WhatsAppFacebookShare

Uma biblioteca digital com obras de autores infantis renomados como Ziraldo e Monteiro Lobato destinada a escolas. Assim é a Elefante Letrado plataforma projetada para incentivar o hábito da leitura e a compreensão leitora em estudantes da Educação Infantil ao Ensino Fundamental I.

Com um investimento inicial de R$ 8 milhões, Scheila Vontobel, sócia-fundadora da empresa, disse que a ideia nasceu a partir da observação da evolução da leitura em inglês de suas filhas, por meio de uma ferramenta utilizada na escola.

A busca por uma ferramenta semelhante em português não teve sucesso. Foi então que, junto com uma equipe de profissionais versados em tecnologia e pedagogia, Scheila desenvolveu o sistema. A biblioteca digital chegou ao mercado em meados de 2014.

“Por meio das novas tecnologias, a plataforma apoia o ensino da leitura ao possibilitar que estudantes tenham acesso permanente a centenas de obras de consagrados escritores de literatura infantil.”

Scheila ressaltou que a ferramenta digital não compete com as bibliotecas existentes nem substitui os livros físicos.

“No século 21, a leitura é possível em livros, revistas, jornais, cartazes e também no meio digital. Já não pode ser considerada letrada uma pessoa que não está familiarizada com os novos portadores de textos.”

Planos de assinatura diferenciados

Além do grande acervo, foram elaboradas atividades pedagógicas especialmente para o programa. Atreladas a um conjunto de 15 descritores de leitura, as atividades trabalham a compreensão leitora e geram relatórios de desempenho dos estudantes. Os dados ficam disponíveis para professores e gestores pedagógicos.

“A partir do uso da Elefante Letrado esses profissionais notaram uma significativa diferença na quantidade de livros lidos por criança. E também na motivação dos estudantes para a leitura.”

Atualmente, a plataforma oferece duas opções de assinatura. O acesso pode ser feito por computadores, tablets ou notebooks, pelo navegador Google Chrome ou por aplicativos iOS e Android.

Os custos de implementação variam de acordo com o número de estudantes cadastrados.

Escolas no Sul do país, como a Escola Projeto, o Colégio São Judas Tadeu e a Panamerican School of Porto Alegre, já usam o Elefante Letrado. Além dessas, instituições das regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do Brasil, e também no exterior, já têm acesso à ferramenta.

Leitura que propicia passaporte para a formação do cidadão

Scheila finalizou dizendo que o propósito de incluir as crianças nos mais variados ambientes letrados une todos aqueles que se sentem comprometidos com a educação das crianças.

“Sejam em páginas de um livro ou telas dos dispositivos eletrônicos, a leitura é passaporte para a cidadania. Que ela possa acontecer sempre, e cada vez mais.”

 

O interesse pela leitura pode ser construído através de inúmeras novas metodologias, inclusive, pela gameficação. A plataforma Arkos, que já foi testada por mais de 5 mil alunos de escolas públicas e privadas, oferece a possibilidade de aliar a leitura à tecnologia.

 

Cinthia Guedes

Cinthia Guedes

cinthia.guedes@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Cinthia Guedes