Escola australiana utiliza metodologia inspirada em startups

Já imaginou uma escola onde os alunos não precisam usar uniformes, nem fazer lições de casa ou provas tradicionais? Em Williamstown, na Austrália, isso já é possível. A escola primária Lumineer Academy foi estruturada como uma startup, onde os alunos desenvolvem habilidades como a criatividade, colaboração e o pensamento critico para resolução de problemas.

A diretora da Lumineer Academy Sophie Fenton com os alunos Olivia Barbouins, Noah Helu Angus Norton (Foto: Reprodução – David Geraghty / The Australian)

A ideia desse novo formato é da empresária Susan Wu. Fundadora da empresa de jogos online Ohai, Susan já investiu em empresas como Twitter, Reddit e Stripe.

Em entrevistas aos jornais ‘The New York Times’ e ‘The Australian’, a empresária disse que as escolas que conhecemos hoje foram idealizadas com base na Revolução Industrial e não atendem mais às demandas do mundo atual.

Apesar de escolas e programas de educação fundados anteriormente por executivos da área de tecnologia não terem obtido muito sucesso, Susan está confiante com seu empreendimento. A escola foi fundada em janeiro e conta com 130 alunos matriculados. A mensalidade da instituição está custando US$ 8 mil.

Metodologia é aprovada por professores

Nas salas de aula da Lumineer Academy as mesas não são fixas. Isso possibilita a troca dos móveis de lugar conforme a necessidade. Além disso, os alunos não usam carteiras escolares tradicionais. Em seu lugar, pufs e espreguiçadeiras.

As aulas são inspiradas na metodologia STEM. Susan explicou que se baseou em um conceito de física para chegar à metodologia adotada na Lumineer Academy. Esse conceito é conhecido como primeiro princípio. Defende que as ideias sejam reduzidas à sua forma mais pura sem comprometer hipóteses ou analogias.

Não é necessário usar uniformes. Os alunos podem escolher as roupas que quiserem, desde que estejam alinhadas ao padrão de cores estabelecido. Além disso, os alunos também têm a oportunidade de trabalhar com Organizações Não Governamentais (ONGs) para entender o funcionamento dessas instituições.

. Na Finlândia, os alunos dão aula de tecnologia para seus professores

Um estudo recente realizado com professores autralianos indicou que de 30 a 50% desses profissionais abandonam a profissão nos primeiros anos de trabalho. Alguns foram recrutados para trabalhar na Lumineer Academy e aprovaram o novo modelo.

Segundo a professora Kim Staples, os antigos modelos são muito restritivos e não permitem que as crianças tenham as melhores experiências de aprendizagem.

Você também pode ler a reportagem completa sobre a Lumineer Academy no The New York Times e no The Australian.