Especialista destaca importância das reformas no ensino médio

BETT-EDUCAR-SELOApós a homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC)  para o ensino infantil e fundamental, os olhares estão voltados para as reformas no ensino médio. A terceira e última versão da BNCC do ensino médio foi encaminhada para o Conselho Nacional de Educação no início de abril. O documento será submetido a audiências públicas nas cinco regiões do país.

A primeira audiência está marcada para o dia 11 de maio, em Florianópolis. Haverá, ainda, audiências em São Paulo (8/6), Fortaleza (6/7), Belém (10/8) e Brasília (29/8).

Cláudia Costin, diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da FGV/Ebape, enfatizou a importância das reformas.

Diretores e professores devem trabalhar juntos na reformulação dos currículos

Segundo Cláudia, uma carga horária de apenas quatro horas diárias é muito baixa. Outro problema apontado pela educadora são as 13 disciplinas obrigatórias que compõem o atual currículo da maioria das escolas. Para a especialista o ideal seria diminuir o número de disciplinas e aumentar a jornada diária do estudante para estimular o pensamento crítico.

Cláudia citou, ainda, resultados de pesquisas que avaliam o impacto da inteligência artificial no futuro do trabalho. Segundo ela, tais resultados só reforçam a necessidade de se investir no desenvolvimento socioemocional dos estudantes do século 21.

A diretora do Ceipe/FGV participará como palestrante no Fórum de Gestores da Bett Educar, que acontecerá entre os dia 8 e 11 de maio, em São Paulo. Cláudia Costin, o educador e gestor educacional Carlos Martins e o presidente do Sinepe Maringá, José Carlos Barbiere, discutirão o tema “Finalmente a ponte entre a educação básica e o ensino superior? A BNCC e o novo ensino médio”.

. Fórum de gestores Bett Educar reúne líderes do setor em São Paulo

A especialista chamou atenção para a importância da formação continuada dos professores, que, segundo ela, deve ocorrer na escola. Além disso, Cláudia Costin ressaltou que os gestores educacionais devem trabalhar em conjunto com os professores na elaboração do projeto político pedagógico da escola para garantir que novos projetos sejam implantados em sala de aula.

“É o diretor que vai aconselhar seus professores e garantir que a cada dia que uma educação de qualidade seja fornecida aos alunos.”