Especialistas debatem os rumos da leitura digital na sede do InovEduc

InovEduc promove debate sobre rumos da leitura na era digital

WhatsAppFacebookShare
Debate InovEduc: Tendências educacionais e o desafio da leitura na era digital
Andréa Marini, diretora do InovEduc, abre debate sobre leitura na era digital na sede do portal, no Rio

O auditório da Folha Dirigida, no Centro do Rio de Janeiro, abriu as portas nesta quarta-feira, dia 18, para a palestra “Tendências educacionais e o desafio da leitura na era digital”. O evento foi promovido pelo InovEduc com o apoio da Bett Educar Brasil.

Mediado pela jornalista Branca Andrade, do SBT, o bate-papo teve como palestrantes João Leal, CEO da Árvore de Livros, Renata Valéria Lopes, especialista em análise comportamental e TI, e André Campelo, CEO da startup Dentro da História.

Em pauta, as mudanças e desafios trazidos pela era digital. Se por um lado a tecnologia traz avanços incomensuráveis, por outro lado coloca em xeque hábitos tradicionais, como o da leitura. Como preservá-lo ao mesmo tempo em que somos condicionados a poupar palavras e nos limitarmos a 140 caracteres? Como adequar-nos às novas plataformas?

João Leal iniciou a conversa mostrando dados sobre o hábito da leitura na população brasileira. De acordo com a última edição do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), o Brasil está na 59° posição em leitura, das 72 nações participantes da pesquisa. Enquanto isso, 63% das escolas brasileiras não têm nem biblioteca, o que dificulta ainda mais o acesso de crianças e adolescentes à leitura.

“A dificuldade de discutir assuntos complexos e a difícil compreensão de textos, escrita e vocabulário estão entre as consequências sofridas por quem não lê. Só é possível melhorar a educação com a leitura”, avaliou João.

Arvore de Livros: a “Netflix da leitura”

Árvore de Livros estimula leitura online

As novas tecnologias estão cada vez mais sendo incorporadas à educação. Com o objetivo de gerar uma comunidade de leitores que envolva alunos, professores, diretores e pais, a Árvore de Livros traz uma proposta de leitura online.

É uma plataforma de leitura para escolas que tem mais de 15 mil livros, jornais e revistas disponíveis e já conta com mais de 100 mil usuários (alunos). Chamada de “Netflix dos livros”, a plataforma oferece todo esse conteúdo por uma assinatura mensal fixa – cuja valor corresponde, em média, a um único livro físico.

“Trabalhamos com três frentes. A primeira é democratizar o acesso a todos os alunos brasileiros. A segunda é a geração de relatórios para os professores. Com essas análises, o educador pode direcionar o ensino e verificar se os alunos leram os livros recomendados, entre outros dados. A terceira frente diz respeito
à capacitação desses educadores.”

Plataforma Dentro da História
Plataforma Dentro da História personaliza livros e transforma crianças em protagonistas

Crianças como protagonistas das suas histórias

Já pensou na possibilidade de uma criança personalizar um livro para que fique com seu jeitinho? Essa tarefa pode se tornar realidade graças à plataforma Dentro da História, que com apenas 14 meses no ar já personalizou mais de 120 mil livros.

“Na Dentro da História, basta escolher o tema, personalizar o avatar que representará a criança e pronto. Ela já faz parte do livro”, explicou André Campelo, CEO da ferramenta.

Em breve serão lançadas novas opções de histórias, inspiradas em desenhos da Disney, Cartoon Network, Gloob, e outros.

. Plataforma Estante Mágica estimula capacidade de ler e escrever.

Segundo André, um dos pilares da leitura e da educação é a tecnologia. E plataformas como essas, que estimulam o hábito da leitura, são essenciais para despertar a criatividade das crianças.

“A gente trabalha o protagonismo das crianças. Através de feedback de educadores, sabemos que a criança se imagina realmente dentro da história. E a gente acredita que isso incentive cada vez mais a leitura.

Em vídeo: João Leal e André Campelo debatem como suas iniciativas estimulam a leitura

Ambiente colaborativo como incentivo para o conhecimento

Renata Valéria Lopes, especialista em análise comportamental e TI, também destacou a importância do crescimento da leitura digital. Com experiência em diversas universidades no exterior, ela frisou que este tipo de tecnologia permite o acesso a diversos conteúdos com custo mais baixo:

“A maioria das universidades já trabalha com o online. Mesmo optando por um curso presencial, os alunos encontram o material de forma digital. Isso facilita o conhecimento sobre o assunto e  fomenta a necessidade de estudar nos fins de semana ou durante a semana. Ou seja, de ter essa reciclagem constante de conteúdo.”

Uma das vantagens dos ambientes de leitura destacadas por Renata é o compartilhamento de ideias proposto pelos fóruns. Nesses grupos colaborativos, além da troca de opiniões com os tutores, os estudantes podem trocar impressões e insights com ouros participantes do treinamento: “Quando o ambiente é colaborativo, o interesse pelo assunto, pelo conhecimento, cresce ainda mais. Está havendo uma transformação com a internet. E essa mudança não acontece só dentro das escolas. Acontece nas universidades e nas empresas também”.

Cinthia Guedes

Cinthia Guedes

cinthia.guedes@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Cinthia Guedes