#CPBSB: tecnologia e educação como ferramentas para inserção no mercado de trabalho

WhatsAppFacebookShare

Ampliar o horizonte dos adolescentes e jovens para que amanhã eles possam, verdadeiramente, fazer a diferença no futuro do país é um dos principais desafios da nossa sociedade. Mas como despertar o protagonismo e engajar o jovem em um projeto que seja inovador?

Essa é a missão da startup EduLivre, que aborda aprendizagem digital. O objetivo é incluir jovens de comunidade no mundo do trabalho. O “alvo” são jovens entre 16 e 29 anos que desistiram de estudar .

EduLivre Startup Campus Party BSB InovEduc

Recém lançada para o mercado, a plataforma, marca presença na Campus Party Brasília. Sua fase de teste realizada em comunidades de Pernambuco.

Seus conceitos de aprendizado são aplicados de acordo com a realidade do ambiente em que o aluno vive. Funciona como a espécie de estudo dirigido que atenda às necessidades específicas de cada aluno.

Startup tem parceria com a Unesco

A startup tem parceria com a Unesco. É uma iniciativa do Banco Interamericano de Desenvolvimento, Fundo Multilateral de Investimento e CNI.

“A ferramenta de educação transformadora auxilia jovens de 16 a 29 anos, que desistiram de estudar e estão com dificuldades de serem inseridos no mercado de trabalho”, ressalta Dani Bezerra, gestora do Células Empreendedoras e responsável pela gestão do MVP do EduLivre em Pernambuco.

Após se inscreverem para ter acesso aos conteúdos, os alunos participam de uma “trilha do conhecimento”. De um jeito divertido e inovador, aprendem disciplinas que fazem parte do currículo escolar utilizando tecnologias como gameficação.

Além dessas disciplinas, o estudante também recebe instruções que o auxiliarão a como se comportar numa entrevista de emprego. O que dá maior segurança para conquistar sua vaga no mercado de trabalho.
Dani também afirma que foi muito importante ouvir os alunos com os feedbacks. A partir daí foi possível identificar as dificuldades e os motivos que fizeram com que esses estudantes se afastassem das salas de aula.

EduLivre promove hackathon na Campus Party Brasília

Com intuito de promover melhorias na plataforma, a StartUp convidou os “campuseiros” para participar de uma hackathon. A missão é desenvolver tecnologias capazes de engajar, cada vez mais, os jovens durante o processo de aprendizagem e formação de competências para o mercado de trabalho e trajetória de vida.
Cinthia Guedes

Cinthia Guedes

cinthia.guedes@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Cinthia Guedes