Imersão cultural sem viajar para outro país já é possível

WhatsAppFacebookShare

Falar uma segunda língua nem sempre foi uma obrigação no mercado de trabalho, mas sim um diferencial. No entanto, com o crescimento da economia nacional e a disseminação de novas tecnologias, o mundo nunca esteve tão conectado. E, se as barreiras físicas só eram rompidas por profissionais de sucesso e com empregos em multinacionais, atualmente esses obstáculos não existem mais.

Das micro e pequenas empresas até as gigantes do mercado, a exigência do segundo idioma tornou-se uma necessidade. Entretanto, o brasileiro não vem acompanhando a demanda. Com números destoantes para uma economia que já esteve em sexto lugar no ranking mundial e hoje ocupa a nona posição, o Brasil possui apenas 5% da população com conhecimento médio/avançado da Língua Inglesa, de acordo com um estudo desenvolvido pela British Council Brasil (organização internacional para relações culturais e oportunidades educacionais).

 

Para mudar este cenário, muitos profissionais e estudantes vêm buscando alternativas à falta de dinheiro e ao tempo, fatores que se repetem nas recentes pesquisas nacionais. É com base nestas necessidas que o número de instituições de ensino que oferecem aulas à distância vêm crescendo no país. Exemplo disto é a Engoo (http://www.engoo.com.br/), escola de Inglês on-line, que não só aplica o ensino virtual, como realiza uma imersão de seus alunos ao idioma e as culturas estrangeiras.

 

 

Com a disseminação de novas tecnologias, a escola viu a oportunidade de romper as barreiras físicas, propondo uma metodologia de aula semi-imersiva que prioriza colocar o aluno em contato diário com professores estrangeiros. Desde dezembro de 2013, a empresa capta professores nativos e oferece aulas para estudantes de diversas partes do mundo, inclusive os brasileiros.

 

Segundo o diretor das operações da Engoo no Brasil, Alex Campos, o estudante também pode optar pela prática de conversação e tratar de variados assuntos que abranjam questões culturais e curiosidades sobre a nacionalidade do professor. “Em conjunto, essa é a experiência mais próxima de vivenciar uma imersão cultural sem que o aluno viaje para outro país”, explicou.

 

Professores online 24 horas

Para o ator Gustavo Duque, o curso a distância era um desejo que ele buscava há dois anos e encontrou nas aulas gratuitas de experimentação da Engoo. “A diferença está na praticidade de fazer aulas a qualquer horário. Há professores online 24 horas, então posso marcar minhas aulas a qualquer hora do dia até 15 minutos antes de começar; isso facilita quando estou trabalhando muito e não posso marcar a aula com muita antecedência”, explicou.

 

Já para o estagiário de desenvolvimento de softwares, Christian Fuin, que cursa faculdade a distância, o ensino EAD da Engoo foi uma escolha lógica. Para o jovem de 23 anos, as ferramentas de tecnologia não o ajudam apenas durante as aulas na plataforma de Inglês, mas também em outras situações. “A Netflix, por exemplo, me ajuda a melhorar o entendimento do idioma e a afinar os ouvidos”, explicou.

 

Nos últimos anos, a classe C foi o principal público no segmento de Educação e Treinamento. Com a estagnação da economia alguns itens foram cortados, e se um estudante visava o intercâmbio, hoje, é grande o número de pessoas focadas em aprender ou aprimorar o idioma sem sair do Brasil. Com esta base, atualmente a Engoo está concentrada em disseminar o ensino do idioma Inglês por meio do multiculturalismo, colocando o aluno em contato com professores de outros países.

 

No Brasil, a estimativa de crescimento é de 50% ao ano nos próximos três anos. A plataforma também está oferecendo acesso gratuito ao material didático no site da empresa. Para quem precisa aprimorar a comunicação verbal, os planos de ensino estão disponíveis com 50% de desconto.

Débora Thomé

Débora Thomé

Editora-chefe
debora.thome@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Débora Thomé