Educadores compartilham experiências de inovações no ensino de Ciências e Matemática - Inoveduc

Educadores compartilham experiências de inovações no ensino de Ciências e Matemática

WhatsAppFacebookShare

Ciência Amanhã 2017Desenvolver atividades voltadas para os estudantes com temas relacionados à ciência e inovação é um dos principais desafios dos educadores brasileiros atualmente. Durante o Seminário Caminhos da Ciência, Tecnologia e Inovação para a Juventude, foram debatidas as possibilidades de transformação no ensino com uma visão inovadora.

O professor de Matemática Clayton Meiji Ito compartilhou sua experiência nas unidades de internação de adolescentes em medidas socioeducativas em Planaltina-DF. Meiji Ito explicou que sempre buscou trabalhar a disciplina de uma maneira diferente, mais interessante para os alunos.

“Desde que iniciei meus trabalhos lá, meu objetivo era tirar as amarras que impedem a liberdade do jovem, por meio da educação”, disse.

O professor desenvolveu maneiras interativas de transmitir o conhecimento matemático para os alunos. Para isso, incorporou jogos, teatro e até mágica em suas aulas.

Clayton também destacou os principais pontos que considera relevantes para o trabalho de um educador: a relação aluno/professor, afetividade, autoestima, o lúdico, a motivação e a avaliação formativa.

Disciplinas podem ficar mais atrativas com uso de STEAM

Cândido Oswaldo Moura deu continuidade à palestra. O professor de Matemática da Escola Municipal Tancredo Neves em Ubatuba-SP alertou para o modo como as matérias relacionadas a Matemática e Ciências são abordadas nas aulas.

“A aula de Ciências no Brasil é uma aula de português mal dada; o aluno lê um texto, responde a meia dúzia de perguntas e não vê nenhuma aplicação prática para aquilo”, explicou.

O professor Cândido frisou que o uso da metodologia STEAM (Science, Technology, Eningeer and Math) é mais interessante para os alunos atualmente.

Wemerson Nogueira, que também participou do debate. O educador ressaltou a importância da educação e como a dedicação ao ofício de ensinar podem mudar a vida dos alunos e possibilita transformações significativas na sociedade em que vivem.

Wemerson é professor de Ciências e esteve à frente do projeto de um modelo de filtro que auxilia a limpeza da água do Rio Doce após o rompimento da barragem de Mariana.

Débora Thomé

Débora Thomé

Editora-chefe
debora.thome@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Débora Thomé