Curso de idiomas via messenger: conheça essa tendência

WhatsAppFacebookShare

selo-silicon-docks-inoveducO Facebook tem uma média diária de 1,19 bilhão de pessoas ativas. Dessas, 1 bilhão acessam em dispositivos móveis. Esses números referem-se a usuários globais, segundo suas últimas estatísticas divulgadas em novembro de 2016. Com a capacidade de alcance e essa quantidade de usuários, é certo que falar com pessoas por meio dessa plataforma social será mais rápido e mais fácil.

Pensando no potencial do Facebook como uma plataforma de aprendizado e em criar algo inovador, Tadgh Giles decidiu investir em uma startup de social learning. Fundador da Langroo, o empreendedor disse que aproveitar essa tendência e oferecer um serviço customizado e adaptável, principalmente, à realidade das pessoas, foi a sua intenção ao criar a empresa.

 

“O sistema educacional dá ênfase à gramática, e não a situações da vida real, como sobreviver em situações de emprego, por exemplo”, disse o fundador da startup, que entrou no mercado efetivamente este ano.

O sistema de ensino via messenger já conta com cinco idiomas em seu portfólio: Chinês, Inglês, Espanhol, Francês e, claro, Irlandês, já que a língua é amplamente falada no país natal do fundador. Além disso, o banco de dados consta de mais de 50 tutores.

O empreendedor enxergou uma necessidade de um ensino de idioma que se adaptasse melhor às vidas das pessoas, às suas realidades. O uso da mídia social para o aprendizado foi a melhor solução, “baseado em um aprendizado da vida real, customizado a sua situação e circunstâncias”.

Como surgiu a startup Langroo

Além das motivações já mencionadas, uma das situações que fez Tadgh Giles bater o martelo sobre investir no ensino de idiomas foi o fato de ter estudado espanhol durante nove anos. Esse período de aprendizado terminou com um estágio na Espanha. Mesmo assim, ele se deu conta de que frases usuais dos nativos ainda eram desconhecidas.

. Programação é o novo inglês? Não: programação com inglês é o caminho

“A maior missão é o aprendizado pela mídia social. Entretanto, permanecer entre as tendências de outras companhias que usam o Facebook foi um forte fator decisivo. O fato de as empresas utilizarem o serviço de bots para atendimento ao consumidor já é um sinal. A Langroo pretende expandir nesse sentido. Na verdade, eles já surfam essa onda”, definiu Giles.

A startup fica em um escritório no Grand Canal Docks, região de Dublin, na Irlanda, que reúne uma série de gigantes de tecnologia. É vizinha do Facebook, Google, Linkedin, Microsoft, entre outros. Para Tadgh Giles, as vantagens de estar localizado em Dublin são o fácil acesso a locais de trabalho, apoio e investimentos iniciais, por exemplo.

Além disso, eventos como o First Fridays, promovido pela DogPatch Labs e o Google para empreendedores de startups, permitem não só acesso a conhecimento, como um rico networking.

Ajudar pessoas com ensino personalizado

Langroo-linkedn-inoveduc

O fundador da startup explicou que o primeiro contato de um aluno com a plataforma é uma interação.

Um bot faz perguntas básicas, de início. “Qual é a sua motivação para estudar esse idioma?”, “Qual é seu nível?” são alguns dos exemplos.

Além disso, o bot “pergunta” se você prefere um professor ou professora, interesses como hobbies — tudo para personalizar melhor o serviço.

. Conheça 4 aplicativos para aprender idiomas

Assim, o sistema encontra um tutor que dê “match” e adiciona o aluno em até 24 horas no Facebook. Um teste gratuito de 15 minutos é oferecido para verificar como o sistema funciona. O sistema inclui um tutor, que acompanhará o aluno semanalmente. “O tutor resolve um dos maiores problemas com o ensino de línguas, que é a motivação”, explicou Tadgh. Mesmo que o nível de conhecimento seja o intermediário, o estudante já terá contato com frases usuais. Tudo via messenger.

“É como um ensino acelerado. Os professores mandam conteúdo semanalmente. Você estuda e ainda tem uma videochamada com o tutor para praticar”, resumiu o criador do Langroo.

Sobre os planos para o futuro, Tadgh Giles pretende expandir para outros mercados, com outros idiomas, e até mesmo outras plataformas sociais. O uso mais avançado de bots também está nos planos. “Nosso maior objetivo, no momento, é ajudar pessoas”, concluiu.

 

O fundador da Langroo concedeu entrevista ao InovEduc durante o First Fridays, realizado em maio de 2017.

Larissa Siqueira

Larissa Siqueira

[email protected]
Especial da FOLHA DIRIGIDA para o InovEduc
A repórter esteve na Irlanda entre abril e maio de 2016

Ver todas as postagens publicadas por Larissa Siqueira