LMS agiliza planejamento e gera maior interação na EAD - Inoveduc

LMS agiliza planejamento e gera maior interação na EAD

WhatsAppFacebookShare

Em sua fase inicial, na década passada, o ensino a distância caracterizava-se por um formato padronizado, que se resumia em grande parte à conversão dos conteúdos impressos em formatos digitais.

Com o avanço da tecnologia educacional, a diretriz mudou. Nas instituições de ensino, a palavra de ordem é adotar sistemas que, ao mesmo tempo, ampliem a escala de estudantes a partir de uma experiência educacional o mais interativa e personalizada possível.

Nesse cenário, ganham força os chamados Learning Management Systems (LMS). Esses sistemas de gestão de aprendizagem são plataformas digitais que facilitam a transmissão do conhecimento.

Apoiadas em princípios da inteligência artificial, aplicativos inteligentes e outras tendências, elas servem de apoio para as metodologias pedagógicas colocadas em prática no ensino virtual ou semi-presencial.

Universidade de Sergipe adotou a tecnologia

A Universidade Tiradentes (Unit), com sede em Sergipe, adota desde 2013 a S3. A LMS, entre outras funcionalidades, tem permitido ao professor ganhar tempo no planejamento pedagógico para estabelecer maior interação com o aluno.

Com o software, três meses antes do início do curso, os docentes definem os objetivos de aprendizagem para cada conteúdo ensinado, para diferentes perfis de estudantes. Nessa etapa, eles também formatam mensagens de feedback para os alunos, com base no rendimento que tiverem nas atividades pedagógicas.

A partir daí, o resto em com a LMS, que mapeia os dados do estudante, compara com as informações do restantes da turma e propõe atividades com base no uso da plataforma.

Até a frequência e o engajamento com que o aluno participa dos fóruns de discussões e dúvidas são levados em conta.

Se o universitário tem desempenho abaixo do esperado, recebe mensagens de incentivo, principalmente para fazer uso mais frequente do ambiente virtual, além de conteúdo extra para reforço.

Já no caso de o rendimento superar as expectativas, o sistema libera material complementar para aprofundamento no assunto.

Sistema mapeia dados e gera feedback para o professor

O impacto do uso da LMS foi muito positivo, destacou Paulo Rafael Nascimento, responsável pela área de Tecnologias da Diretoria de EAD da Unit.

Segundo ele, os novos recursos possibilitaram reduzir a quantidade de tarefas do professor e, ao mesmo tempo, gerar no aluno uma perspectiva de maior interação, já que os feedbacks são periódicos.

“Antes, o professor tinha que analisar relatórios de dados, levantar a frequência com que os alunos acessavam a plataforma para, então, enviar as mensagens e os materiais complementares. Hoje ele desenha a estratégia de aprendizagem e usa a tecnologia para colocá-la em prática.”

A S3, da Unit, tem como base a plataforma Brightspace. Criada pela D2L, a empresa canadense é uma das gigantes do setor de LMS no mundo.

Com presença nos Estados Unidos, Inglaterra, Austrália e Singapura, a multinacional atua em parceria com várias instituições brasileiras. Entre elas, a Pearson e a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Entre os objetivos da Brightspace está o de facilitar a personalização da aprendizagem e a construção de experiências que geram engajamento.

Uma das principais funcionalidades da plataforma é uma sessão de planejamento, pesquisa e desenvolvimento colaborativo, que facilita a criação de planos de atividades capazes de envolver o estudante, como os colocados em prática nos cursos da Unit.

Infográfico LMS

Plataforma da D2L facilita elaboração de provas para alunos

Para analisar o desempenho acadêmico dos alunos e proporcionar os feedbacks personalizados, a elaboração de questionários sobre os conteúdos do curso tem papel decisivo.

A Brightspace, por exemplo, permite ganhar tempo na elaboração de perguntas, além de possibilitar retorno com base nas respostas do aluno e atribuição de pesos diferentes às questões.

Entre as funcionalidades da plataforma está um feed de atividades. Nele, professores compartilham opiniões, textos, vídeos, podcasts e outros materiais. Também há um aplicativo pelo qual o aluno pode visualizar a carga de trabalhos acadêmicos, controlar prazos, acompanhar discussões e ler notificações e lançamentos de notas do curso.

“Somente ampliar o acesso à educação não significa que haverá resultados positivos. Por isso, estamos muito focados em desenvolver ferramentas que permitem fazer análises dos resultados acadêmicos, de forma que possamos assegurar que o resultado desse processo educativo seja correto”, disse Juan Lucca, vice-presidente de Vendas da D2L para a América Latina.

 

Débora Thomé

Débora Thomé

Editora-chefe
debora.thome@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Débora Thomé