Com meta de chegar a mais 100 cidades, Maple Bear estreia na Bett

BETT-EDUCAR-SELOCom a proposta de investir no ensino bilíngue a partir do modelo educacional canadense, um dos melhores do mundo, a Maple Bear, pela primeira vez, tem um stand próprio na Bett Educar. E este é só um dos indicativos de crescimento da empresa.

A rede de franquias em ensino bilíngue, que tem um total de 98 escolas em todo o país, já possui mais 24 em processo de implementação. Com as novas franquias, a instituição espera chegar a 100 cidades em todo o país, identificadas entre as que têm espaço para o modelo de negócios.

Das capitais, a única que não tem uma unidade da Maple Bear é Macapá. A presença maior está no Estado de São Paulo, com 44 franquias, 19 delas só na Região Metropolitana. No Rio de Janeiro, são seis na capital e uma em Macaé, no Norte Fluminense.

Maple Bear tem como proposta formar nativos bilíngues

De acordo com o diretor de Marketing da Maple Bear, Rafael Mangini, o maior diferencial do ensino bilíngue canadense está na base da proposta pedagógica. Segundo ele, a metodologia vai além de proporcionar fluência no idioma estrangeiro ao aluno, viés que, segundo ele, predomina no mercado.

“No ensino canadense, o objetivo é fazer do aluno um nativo no segundo idioma. Isto significa um estágio em que o estudante apropria-se do idioma de forma natural. Ele não só assimila vocabulário, mas desenvolve uma forma de pensar, de organizar informações e de ver o mundo”, explica Rafael Mangini.

. Bett Startups apresenta negócios inovadores em educação

Para abrir uma franquia da Maple Bear, é preciso um investimento a partir de R$1,5 milhão. Segundo o diretor de Marketing, em geral, as unidades começam com foco na educação infantil. Mas há possibilidade de expansão para o ensino fundamental e médio. “Muitas já adotam modelos preparados para expandir o ensino para outros segmentos”, ressalta.

Rafael Mangini, diretor de marketing da Maple Bear

A mensalidade custa, em média, R$2.500. Já o faturamento de uma unidade depende de fatores como remuneração dos professores na cidade, instalações e competitividade do segmento na região.

“Mas, há casos de unidades que custaram R$1,5 milhão que alcançaram margem positiva quando chegaram a 45 alunos. Nesse ponto, já atingiram o payback”, ressalta.

Presente em 16 países, a Maple Bear está no Brasil desde 2006. No conjunto de escolas que fazem parte da rede de franquias, estão instituições que atuam com atividades complementares de robótica, conteúdo maker, entre outros.

Segundo o diretor de marketing, as escolas Maple Bear usam muito a tecnologia, mas sempre com viés educacional. Isso facilita o aprendizado em sala de aula. “A ideia é usar a tecnologia para permitir acesso a conteúdos e experiências”, sintetiza Rafael Mangini.