‘As crianças estão começando a mudar o mundo’, disse Marc Prensky

WhatsAppFacebookShare

“Não podemos continuar ensinando do mesmo modo que fazíamos no século passado.” Foi o que defendeu Marc Prensky, escritor americano e especialista em educação criador do termo “nativo digital“. Marc foi o destaque do Encontro internacional Educação 360 – Tecnologia, realizado no Museu do Amanhã (Rio de Janeiro), no último dia 7.

Para ele, mais importante do que simplesmente transmitir conhecimentos é formar o estudante para resolver problemas e melhorar o mundo. Prensky ressaltou que as metodologias atuais de ensino estão defasadas e que a escola deve encontrar novas perspectivas. “Precisamos de pessoas que saibam fazer as coisas, resolver problemas, não que sejam as melhores. Mas a escola não está enxergando isso”, ressaltou o educador.

Marc Prensky realiza palestra magna no Encontro Educação 360-Tecnologia 2017
Marc Prensky no seminário Educação 360 – Tecnologia (Foto: Mariana Durmmond)

‘Muitas vezes esquecemos das crianças’, disse Marc Prensky

O escritor afirma que não ouvir as crianças é um erro cometido na maioria das instituições. “Muitas vezes esquecemos das crianças quando falamos de educação. E nós não as ouvimos porque achamos que sabemos as respostas”, ressaltou.

Marc também destacou como falhos os sistemas tradicionais de avaliação. Segundo ele, não existe relação entre boas notas e a capacidade do aluno em realizar determinadas atividades. “Em vez de colocar nossos alunos para tirarem boas notas e fazermos um ranking deles, podemos usá-los para mudar o mundo”, enfatizou Marc Prensky.

Para Marc, o ideal seria trabalhar a solução de problemas reais com as crianças desde os primeiros anos escolares. Em vez de atuar como um “detentor” do conhecimento, o professor deveria agir como uma espécie de coaching. Dessa forma seria permitido aos alunos desenvolver seus projetos sozinhos, apenas recebendo um suporte do professor.

“As crianças hoje estão sendo subestimadas e desrespeitadas. Achamos que elas podem fazer menos do que realmente podem. Quando usamos problemas do mundo real, elas retornam com soluções que muitas vezes adultos não conseguem enxergar”

Definir um objetivo, como melhorar o mundo, por exemplo, pode tornar o processo de aprendizagem mais significativo para os alunos. Dessa maneira, eles conseguem associar o que aprendem a algo mais concreto. “É mais interessante do que só aprender as matérias básicas. É Uma experiência diferente para cada uma e as crianças precisam dessa individualidade.

Marc Prensky destacou ainda que os educadores precisam encontrar um meio de ressignificar a educação: “As crianças estão começando a mudar o mundo sozinhas. O que precisamos fazer é oferecer uma educação nova, diferente e melhorada para que elas se tornem crianças empoderadas e indivíduos melhores para melhorar o mundo.”

Letícia Santos

Letícia Santos

leticia.santos@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Letícia Santos