Microsoft: ‘Nossa missão no Brasil está na Educação’

WhatsAppFacebookShare
Antonio Moraes, diretor de Educação da Microsoft

É quase improvável que alguém que tenha frequentado a escola no século 21 desconheça palavras como Windows, Paint, Word e Power Point. As soluções criadas pela Microsoft já fazem parte do ambiente escolar há mais de 20 anos e até hoje são consideradas indispensáveis na rotina de um aluno, seja ele de ensino fundamental, médio ou superior.

Apesar do reinado absoluto neste ambiente escolar, a gigante da tecnologia que ir além e fazer parte da construção da chamada “escola do futuro”.

São cada vez mais frequentes os investimentos da empresa na área, seja por meio de subsidiárias, investimento direto ou criação de ferramentas para uso educacional.

Em um dos mais recentes, anunciado em março, a companhia fechou uma parceria de R$15 milhões com a Prefeitura de São Paulo para a capacitação de alunos e professores da rede pública por meio de acesso à ferramentas como o Office 365.

Outro anúncio importante no âmbito nacional é a chegada do Minecraft Education Edition no Brasil em junho. O jogo, criado em 2009 e adquirido pela Microsoft em 2014, ganhou sua versão educacional no ano passado nos Estados Unidos e agora terá uma versão brasileira.

Em entrevista ao InovEduc durante a Bett Educar 2017, o diretor de Educação da Microsoft, Antonio Moraes, destacou que o interesse da empresa é democratizar o uso das ferramentas, possibilitando um amplo acesso e a capacitação para uso de novas tecnologias dentro da sala de aula.

O executivo falou, ainda, sobre a busca por novas parcerias e os próximos passos da Microsoft baseados na evolução da inteligência artificial.

INOVEDUC: Durante a Bett Educar a Microsoft apresentou o Minecraft Education Edition, lançado no ano passado nos Estados Unidos. Quando será o lançamento dele no Brasil e o que ele agrega para o ambiente educacional?
Antonio Moraes:
O Minecraft Education Edition vai ser lançado no Brasil em 1º de junho. É um grande passo pra gente no segmento educacional porque ele amplia os horizontes de uma forma única. As possibilidades passam a ser ilimitadas para o ensino de praticamente qualquer coisa dentro da sala de aula. Recentemente, nós lançamos o Minecraft Code Builder, em que as crianças não só vão poder criar os seus mundos como também exercitar a criação de código dentro do próprio Minecraft.

Como será a aplicação dele dentro da sala de aula?
Temos uma comunidade de professores na qual são definidos planos de aula e habilidades específicas que serão desenvolvidas. Existe todo um aparato para ajudar e preparar o professor para aquele desafio. Existem desafios que são voltados ao ensino médio, outros para fundamental I e assim por diante.

Em março a Microsoft anunciou uma parceria de R$15 milhões com a Prefeitura de São Paulo para a disponibilização de ferramentas às escolas públicas. Outros acordos como este estão sendo estudados?
A nossa missão no Brasil está na educação e no empreendedorismo. Estamos de braços abertos para essas possibilidades. A cidade de São Paulo foi um ótimo exemplo de que estamos abertos a novas parcerias. Vamos nos reunir com secretários municipais para falar um pouco do que nós fazemos no Brasil. São séries de programas, iniciativas e soluções que trazemos sem custo para que alunos de classes menos privilegiadas possam ter acesso ao ferramental. É importante que o jovem conheça ferramentas, mas é muito importante também que ele tenha o domínio delas, principalmente aquelas que são usadas e demandadas pelas empresas quando o jovem vai buscar o primeiro emprego. Nós vemos esta necessidade de garantir acesso a estas ferramentas.

Apesar do grande número de ferramentas, muitos profissionais da educação conhecem somente os programas mais tradicionais do Office. Existe alguma ação em andamento para tornar mais conhecidas outras soluções?
O portfólio é extremamente abrangente e há uma dificuldade em mostrar isto. Nós temos professores que fazem parte do nosso corpo de funcionários que têm a missão de levar a diante esta mensagem de mostrar não somente o que já e conhecido, como também outras ferramentas. Temos o Office Mix para fazer aulas interativas, o Onenote, um caderno digital e gratuito, o Sway, ferramenta para narrativa de histórias, e assim por diante. Esses professores, que fazem parte do programa “Professores Embaixadores” tem uma função primordial na difusão do que a gente faz, além dos programas mais conhecidos.

A transformação da Microsoft ao longo dos anos é notável. De criadora de softwares a companhia passou a desenvolvedora de soluções em diversas áreas. Quais são os próximos passos?
A Microsoft se pauta três grandes ambições para empoderar pessoas e grandes organizações para que possam fazer mais. A primeira delas é uma nuvem mais inteligente, a segunda é uma computação mais pessoal e a terceira é a reinvenção da produtividade. O que vai unir estas três ambições é a inteligência artificial. Cada vez mais vocês verão a inteligência artificial permeando todo o nosso portfólio de soluções. Ela estará cada vez mais presente em nossos produtos.

Igor Regis

Igor Regis

igor.regis@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Igor Regis