Piaget apresenta plataforma que inclui livros digitais, jogos e aplicativos

Piaget apresenta plataforma que inclui livros digitais, jogos e aplicativos

WhatsAppFacebookShare

Em sintonia com a tendência crescente no mercado de oferecer conteúdos educacionais multimídia, o Sistema Piaget de Ensino adota, em sua rede uma plataforma que trabalha com vários tipos de mídia. Nela, estudantes e professores podem ter acesso a vídeos, jogos, aplicativos, livros digitais, arquivos em pdf, além de materiais em outros formatos.

Já na etapa de criação dos conteúdos que serão trabalhados em sala de aula, já se avalia de que forma o material impresso pode ser complementado para que se torne mais interessante para o aluno. “Desde a organização, nosso material didático já é estruturado para a inserção da tecnologia“, comenta Ligia Carvalho, do Sistema Piaget.

Há dois tipos de plataformas. A Light possibilita acesso do estudante a livros de sua série, onde também encontram ícones que os levam a vídeos, ilustrações, jogos e outros materiais complementares. “Nela, também há orientações para o professor trabalhar esse material de forma eficiente”, comenta Ligia Carvalho.

Na Plataforma Master, feita em parceria com a Scules, além do livro digital de cada série, o estudante pode acessar outras publicações na biblioteca digital, e até resolver exercícios direto no ambiente virtual, entre outras funcionalidades.

Como a plataforma também funciona offline, isso possibilita que até escolas que não tenham condições de disponibilizar tablets para seus alunos possam usar os recursos para tornar gerar maior engajamento do aluno. “Isto é importante para escolas que não tenham infraestrutura de acesso à internet”, diz Ligia Carvalho.

Uma das novidades do Sistema Piaget para 2017 é a abertura para que estudantes de instituições que não façam parte da rede possam acessar o Portal Piaget + Digital, que possui mais de 800 conteúdos, entre videoaulas, jogos e aplicativos.

Neste caso, é preciso ter assinatura, com valores a partir de R$7 por mês. “A ideia é que pais que tenham filhos com alguma dificuldade, por exemplo, possam assinar e proporcionar conteúdo para reforço escolar, por exemplo”, completa Ligia Carvalho.

Renato Deccache

Renato Deccache

renato.deccache@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Renato Deccache