Plataforma FazGame ajuda a desenvolver competências do século 21

WhatsAppFacebookShare

Os jovens estão cada dia mais conectados com o mundo virtual, seja nos games ou na internet. Por que não usar esse universo para ajudar na educação dos adolescentes? Foi com esse intuito que surgiu o FazGame.

A criação da startup se deu após Carla Zeltzer, CEO do FazGame, e seu sócio Antonio Ramos trabalharem com educação empreendedora. Nesse período, ela criou uma metodologia e um game sobre o assunto, além de um e-learning de educação de empreendedorismo.

Carla Zeltzer em uma apresentação sobre a plataforma (Fotos: Divulgação)

A plataforma pode ser usada para criar, compartilhar e publicar jogos educativos por meio de narração de histórias. O objetivo é oferecer um ambiente onde o professor possa dar uma aula motivadora de conteúdos variados.

“Nesse projeto de criação de games, o aluno aprende tanto o conteúdo de pesquisa para criar o jogo quanto o assunto em si. É um processo colaborativo, envolvendo outras competências, como criatividade, colaboração e pensamento crítico.”

Plataforma desenvolve competências do século 21

O FazGame tem como modelo de educação a motivação do aluno em aprender. Por isso, de acordo com Carla, é importante ter instrumentos na aula que criem um ambiente motivador.

Uma das interfaces do Faz Game

A CEO acrescentou que o uso de games na educação aumenta a retenção de conteúdo. Isso influencia, consequentemente, num aumento do resultado acadêmico. O jogo também desenvolve as chamadas competências do século 21:

  • Iniciativa
  • Criatividade
  • Planejamento
  • Colaboração
  • Raciocínio lógico
  • Resolução de problemas
  • Persistência

Carla explicou que uma das características do game é que tanto os professores quanto os alunos não precisam entender de codificação para criar os jogos. E enfatizou que todos os educadores conseguem trabalhar com a plataforma dentro de sala, independentemente da disciplina.

O FazGame pode ser implementado de duas formas. Primeiro, para motivar ou chamar a atenção do aluno sobre um determinado tema. E, segundo, para ajuda tanto no aprofundamento quanto no reforço de um conteúdo discutido dentro de sala de aula.

Startup teve plataforma lançada em 2015

O projeto-piloto do FazGame foi criado em 2014. A versão comercial foi lançada no meio do ano de 2015. Isso foi possível graças ao investimento do programa Tecnova, da Faperj. A plataforma também já está com iniciativas de integração para vendas no mercado exterior.

. Game EduCash ensina educação financeira nos moldes da BNCC
. Plataforma estimula compartilhamento de materiais didáticos

A CEO explicou que a startup está desenvolvendo melhorias com os investimentos recebidos recentemente. Incluindo pontos que facilitarão o uso para o educador. “A plataforma é de simples uso. Mas o professor precisa pensar em um projeto para realizar com o FazGame.”

Entre os aperfeiçoamentos, haverá um conjunto de planos educacionais, que ajudarão os professores a usar o FazGame com os alunos nos mais variados conteúdos e assuntos. A plataforma já teve 900 games publicados por 22 mil alunos, em 200 instituições. Está disponível em três idiomas: português, inglês e espanhol.