Liceu Franco-Brasileiro aposta na robótica para incrementar interdisciplinaridade

WhatsAppFacebookShare

Liceu Franco-Brasileiro Robótica InoveducNos dias de hoje, cada vez mais crianças e adolescentes estão sendo inseridos na metodologia que, além de despertar a atenção, instiga o protagonismo, auxiliando e formando jovens e adultos conscientes do seu papel na sociedade — a Robótica.

Construir, programar, organizar, relatar. São essas algumas das atividades desempenhadas pelos alunos do Colégio Liceu Franco-Brasileiro, no Rio de Janeiro. Quem os vê, tão pequenos, não consegue imaginar a grandeza por trás das mãos hábeis na construção de um protótipo.

Favorecer a interdisciplinaridade é outro fator importante que merece ser destacado no ensino da robótica. Segundo Rosangela Nezi, professora de Informática e Robótica da instituição, que aplica a metodologia desde 2008, a robótica educacional envolve várias disciplinas como, Física, Matemática, Artes e, até mesmo, Música.

“O ensino de Robótica é muito importante, pois consegue unir todas essas disciplinas a uma aula conceitual, abstrata, onde eles conseguem montar algum protótipo e fazer com que este tenha uma ligação com o tema da aula”, disse.

 

Um exemplo dado por Rosangela foi a construção de um robô que trabalha em decibéis, construído, especialmente, para auxiliar a professora de Música a aplicar esse conceito dentro de sala de aula.

Conhecimentos de Engenharia Mecânica, Automação ou conhecimentos básicos de Química Quântica? Quais dessas importantes áreas você julga necessário para a iniciação nas aulas de Robótica?

Bom, para Rosangela não há a necessidade de se ter nenhum conhecimento antecedente, pois é lá que os alunos vão adquirindo, ao longo do tempo, as habilidades necessárias para o desenvolvimento do “projeto nosso de cada dia”.

“A criança senta, pega um kit e começa a construir, a montar e, a partir daí, vai absorvendo o que a Robótica pode oferecer”, disse.

Robótica ajuda a aprender brincando em várias disciplinas

Não foram dias, nem horas. Mas apenas 30 minutos. Esse foi o tempo necessário para que os alunos do Liceu Franco-Brasileiro construíssem um robô que arremessaria moeda, como acontece no jogo ‘cara ou coroa’.

Para eles, aprender brincando é ainda mais divertido.

Uma outra metodologia presente nas aulas de Robótica é o movimento maker. Para fazer a ligação entre as duas áreas de conhecimento, a professora utiliza em sala de aula o kit da LEGO, arduíno, kit make maker, impressora 3D e alguns outros materiais ligados a makers.

“Isso faz nossas aulas se tornarem mais criativas”, garantiu Rosangela.

No que se refere à importância da implementações de tecnologias nas escolas, Rosangela afirmou que nos dias atuais as crianças dominam a tecnologia de ponta. Se o professor, a escola e a educação não embarcarem nesse mundo novo, o ensino fica obseleto.

“Precisamos criar coisas que usem a tecnologia para tornar a aprendizagem mais atrativa, mais perto da realidade deles”, ressaltou a educadora.

Cinthia Guedes

Cinthia Guedes

cinthia.guedes@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Cinthia Guedes