Saiba como funcionam as Escolabs da Prefeitura de Salvador

Saiba como funcionam as Escolabs da Prefeitura de Salvador

WhatsAppFacebookShare

O acesso à educação de qualidade e inovadora é um desafio que vem sendo vencido pela prefeitura de Salvador, na Bahia. A criação das Escolabs tem como principal objetivo ampliar o tempo pedagógico dos alunos da rede municipal de ensino.

O projeto é um modelo pioneiro de escola-laboratório e foi construído a partir da parceira entre a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação, o Google e a SmartLab – plataforma de conteúdos educacionais, integrados e interativos, com formação continuada de professores e ambiente colaborativo. A iniciativa visa a ampliar o tempo pedagógico dos alunos.

Escolab-Salvador-tecnologia-educacao-inoveduc
Foto: Valter Pontes

“Em linhas gerais, trata-se de uma inovação em educação. No que diz respeito à sua essência, objetiva diversificar e ampliar a política de educação integral utilizando tecnologias digitais ancoradas na contextualização prática do conhecimento a partir de experiências realizadas em sala de aula”, disse Bruno Barral, secretário municipal de Educação.

Atualmente, a capital baiana tem duas unidades da Escolab: a Escolab Cid Passos, em Coutos – Subúrbio Ferroviário, e a Escolab Boca do Rio, no bairro Boca do Rio.

Tecnologia e pedagogia para inovar a educação

As Escolabs têm um currículo próprio. Sua proposta pedagógica é centrada na aprendizagem pela vivência, mas não fica só aí. A inovação pedagógica e o uso das tecnologias digitais também fazem parte da mediação dos processos de aprendizagem.

“Podemos falar das atividades desenvolvidas a partir dos seus aspectos teóricos e práticos. Quanto aos pressupostos teóricos, destacam-se o sócio-integracionismo, a neuroeducação, o ensino a partir de experimentos práticos gamificados em sala de aula, entre outros”, explicou Miguel Dourado, diretor da​ ​Escolab Boca do Rio.

As atividades práticas são divididas da seguinte forma:

Uso de tecnologia nas Escolabs já diminui evasão

Apesar de o uso da tecnologia em comunidades carentes já ser uma realidade para os alunos da rede municipal de Salvador, Miguel destacou que o uso intencional e pedagogicamente orientado é novidade.

“O aluno aprende que usando software livre ele pode conceber, editar e ilustrar um livro, e que esse livro pode ser publicado em formato digital, bem como impresso por editoras por demandas. Além disso, ele aprende como ser empreendedor e, inclusive, a angariar fundos com a publicação.”

As escolas laboratórios têm capacidade para 1.800 alunos. Além da ampliação da jornada pedagógica, com educação em tempo integral, os estudantes têm acesso a um currículo diferenciado, centrado em tecnologia digital, ciências, artes e esportes. O que ajuda na melhoria do aprendizado e também na redução da evasão escolar.

“Nas reuniões de pais e em visitas agendadas, os responsáveis costumam destacar como os filhos têm melhorado na aprendizagem e também em questões comportamentais depois que começaram a frequentar regularmente as aulas na Escolab. Também falam de como as aulas têm dado um novo objetivo de vida para seus filhos. E, em alguns casos, os tem afastado da violência e de situações de risco social”, comemorou Miguel.

Nova unidade Escolab tem investimento de R$ 15,6 milhões

Impressoras 3D, tablets e notebooks, fantasias, jogos de tabuleiros e outras ferramentas integram o conjunto de opções disponíveis na Escolab. Uilton Vieira, diretor da Escolab Cid Passos, conta que a unidade conta ainda com a Praça de Arvorismo e o Museu da Criança.

“O espaço é belíssimo, com dezenas de peças adquiridas da coleção do fotógrafo David Glat, dono de uma das maiores coleções de brinquedos populares do Brasil. As peças são contextualizadas com a região onde se encontra a escola laboratório”, descreveu Uilton.

No Museu da Criança acontecem as aulas de artes. As duas Escolabs contam com o Projeto Ginga, uma parceria com a organização De Peito Aberto Incentivo ao Esporte, Cultura e Lazer. A prática da capoeira atinge cerca de mil alunos.

Se hoje aproximadamente 1.800 crianças já são impactadas pelas Escolabs, com a concretização dos planos da Prefeitura de Salvador, esse número deverá dobrar. A novidade é que, muito em breve, o governo do estado receberá mais uma unidade. Desta vez, a implementação será no Centro de Educação Integral (CEI) de Coutos.

“Com investimento de cerca de R$15,6 milhões, a estrutura é composta por cinco módulos e contará com ambientes como quadra poliesportiva, sala de alongamento e espaço de ciência e tecnologia. Além disso, haverá enfermaria, teatro, estúdio de áudio e vídeo, biblioteca e área de jogos”, anunciou o secretário Bruno Barral.

Cinthia Guedes

Cinthia Guedes

cinthia.guedes@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Cinthia Guedes