Storytelling: ferramenta é ‘resgatada’ e ajuda a engajar alunos em EAD

A expansão da educação a distância no Brasil exige um aprimoramento nas metodologias utilizadas para a transmissão dos conteúdos nesse modelo de ensino. Baseado nessa necessidade, um antigo método ressurge como uma ferramenta adicional para estimular o engajamento dos alunos com as aulas.

Pablo Coelho Ferreira, mestre em gestão do conhecimento e tecnologia da informação e diretor da Produtiva (instituição especializada no segmento digital e que fornece soluções integradas para empresas), destacou a importância do storytelling.

O storytelling nada mais é do que uma forma de narrativa diferenciada e mais atrativa. Nesse método os professores contam histórias para transmitir conteúdos aos alunos. “A transmissão de conhecimento por meio de histórias é antiga. Anterior à escrita. Parábolas foram usadas por Cristo em suas pregações para transmitir suas idéias”, exemplificou Ferreira.

Metodologia também é eficaz em aulas presenciais

No caso do ensino a distância, a ferramenta ajuda a “fisgar” a atenção do aluno. Assim, o interesse pelas aulas aumenta. A melhora na eficiência do estudante e uma maior atenção aos conteúdos abordados são outros aspectos positivos que podem ser observados.

Mas os benefícios não se limitam aos cursos a distância. Podem ser utilizados também em aulas presenciais.

Conteúdo deve estar alinhado à infraestrutura disponível

Pablo explicou que o ideal é os professores usarem em suas histórias uma linguagem próxima à de seus alunos. Além disso, diversos recursos digitais podem, e devem, ser explorados. Entre eles: videoaulas com animações e enredo, realidade aumentada, imersão 360° (realidade virtual).

“Produção de conteúdos adequados e transmitidos em linguagem apropriada é um bom caminho a ser adotado. O uso de vídeos e da gamificação dos treinamentos, desde que para o público adequado, também traz bons resultados”, disse Ferreira.

O especialista ainda chamou atenção para o fato de muitos professores perderem o foco na hora de fazer uso da ferramenta. O que faz com que ela se torne o objetivo, e não apenas um meio.

Outra questão que costuma ser ignorada é verificar se a infraestrutura disponível é suficiente para a elaboração do conteúdo que pretende montar. O ideal é construir histórias de acordo com os recursos que sem tem à disposição.