TREE Lab, em Minas Gerais, vai formar os executivos do futuro

TREE Lab, da FDC, pretende formar executivos do futuro em Minas Gerais

WhatsAppFacebookShare

Foi inaugurado na sede da Fundação Dom Cabral (FDC), em Minas Gerais, o TREE Lab. O ambiente de criação, inovação e experimentação é pioneiro no Brasil. Projetado em parceria com IBM e MRV, adota uma jornada de experiência educacional que dará acesso aos executivos e líderes empresariais a soluções tecnológicas inovadoras.

A Dom Cabral é uma escola de negócios há 41 anos com a missão de contribuir para o desenvolvimento de executivos, empresários e gestores públicos. Localizado no Campus Aloysio Faria da FDC, o TREE Lab objetiva proporcionar atividades de experimentação. A ideia é transformar os futuros empresários e líderes do país em agentes mais ativos, imaginativos e produtivos.

Laboratorio-FDC-Inauguracao2-Inoveduc
O TREE Lab funciona no Campus Aloysio Faria da FDC, que fica em Nova Lima/MG (Foto: Divulgação)

A iniciativa surgiu das pesquisas da escola sobre o futuro da educação e os desafios do mundo corporativo. A resposta foi que, para lidar com o ambiente volátil e desafiador contemporâneo e construir as competências das lideranças do futuro, as soluções educacionais têm de ser múltiplas, colaborativas e interconectadas. Além disso, precisam desenvolver inteligências que cultivem a curiosidade e inovação.

“A FDC acredita que a educação é a única saída sustentável para termos cidadãos mais conscientes, líderes e organizações mais responsáveis e um ambiente de negócios mais próspero. O nosso laboratório vai possibilitar uma jornada de aprendizagem para favorecer a construção das habilidades e competências que poderão transformar o mundo”, explicou Marta Pimentel, professora da FDC e coordenadora técnica do TREE Lab.

TREE Lab tem parceria com IBM e MRV

A FDC foi buscar parcerias importantes no ramo de tecnologia de educação. Tudo para construir de um ambiente que integre os planos de inovação da instituição a uma conexão entre a alta tecnologia e o processo de aprendizagem ‘artesanal’, interligando o analógico e o digital.

Entre as tecnologias disponíveis no TREE Lab, está o Watson, plataforma de computação cognitiva da IBM para negócios. Os participantes poderão tirar dúvidas e ter informações sobre as atividades e temas de seus cursos. O assistente virtual usará interação por voz com a linguagem natural humana.

O Watson será treinado continuamente e trará constantes atualizações tecnológicas dos temas abordados pelos participantes nas aulas. “A IBM entende que o líder do futuro deve ser um agente de transformação e a tecnologia é o meio que propicia essa inovação. Nessa parceria, apresentaremos as mais avançadas metodologias e tecnologias para preparar esses futuros líderes”, disse Luís Liguori, CTO da IBM Brasil.

Além de interagirem com o assistente virtual, haverá acesso à plataforma de serviços na nuvem da IBM. Assim como IBM Client Centers e IBM ThinkLabs (centros de soluções por indústrias) localizados em diversos países. Poderão ver e experimentar soluções, assim como construir seus próprios protótipos.

“Apoiar iniciativas como o TREE Lab vem ao encontro da causa abraçada pela MRV de estimular o ecossistema inovador que existe em Minas Gerais. Queremos impulsionar um novo ambiente de negócios, com soluções mais disruptivas e que beneficiem a todos”, afirmou Rafael Menin, CEO da empresa.

IA, IoT e blockchain serão tecnologias comuns no TREE Lab

Laboratorio-FDC-Inauguracao-Inoveduc

A companhia possibilitará, ainda, que estudantes e empresas que passarem pelo TREE Lab se conectem ao mundo das startups por meio de um aplicativo.  A MRV também é apoiadora do Órbi, espaço colaborativo de fomento ao empreendedorismo que será lançado na capital mineira.

Em um segundo momento do projeto, o espaço permitirá a experiência com tecnologias de IoT (Internet of Things). O laboratório identificará os participantes e suas jornadas, gerando interações e insights por meio do assistente virtual. Isso será possível com a integração da plataforma IBM Watson IoT com os sistemas de identificação física. Tudo elaborado pelo parceiro comercial da IBM, a Synergy.

O novo laboratório será o primeiro passo para ambientes totalmente conectados. As experiências dos participantes poderão ser vividas por todo o campus da FDC.

Também será lançado o conceito de gamificação aos participantes. Os alunos receberão pontos por suas participações e interações em atividades no espaço. Essa experiência será baseada na plataforma de blockchain da IBM para seu gerenciamento.

Débora Thomé

Débora Thomé

Editora-chefe
debora.thome@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Débora Thomé