Wired Festival discutiu futuro da educação e do mercado de trabalho - Inoveduc

Wired Festival discutiu futuro da educação e do mercado de trabalho

WhatsAppFacebookShare
wired festival futuro da educação inoveduc
“Pergunte ao CEO” reuniu representantes de Intel, Embratel, IBM, e Microsoft

Como dimensionar o impacto da tecnologia nos negócios, nas cidades e na educação? Quais são as habilidades necessárias para permanecer ativo em futuro não tão distante? Essas perguntas foram base de diversos debates durante o Wired Festival, realizado esta semana em São Paulo.

O evento contou com mais de 30 nomes da indústria de tecnologia nacional e internacional que compartilharam experiências e visões de futuro e quatro diferentes espaços.

O destaque ficou por conta da Sala Reverb, palco principal do evento, que foi inaugurado pelo renomado consultor de marketing, Rohit Bhargava, que falou sobre os desafios de fugir do óbvio para pensar o futuro.

Outro destaque foi o presidente da Avenues The Word School, Alan Greeberg, que falou sobre o modelo escolar que conectará alunos da escola em Nova York, com os de São Paulo, onde será inaugurada a nova unidade.

“Nosso estudantes estarão aprendendo juntos e compartilhando o currículo, formando cidadão global, com uma visão de mundo maior”, destacou.

Outro nome de peso foi Paulo Cabral, head de crescimento do Waze, que discutiu o conceito de cidades inteligentes.

Mas a grande atração do palco foi a palestra “Pergunte ao CEO”, que reuniu o CEOs Marcelo Lyra Porto (IBM), Maurício Ruiz (Intel), Paula Bellizia (Microsoft) e José Formoso (Embratel) para debater o futuro do mercado de trabalho.

CEOs falaram sobre o profissional do futuro

wired festival futuro da educação inoveduc
Sala Engage convidou o público para participar

Durante o encontro eles falaram sobre as habilidades buscadas no mercado. Os desafios de se fazer uma boa gestão para que talentos não se percam dentro da estrutura das empresas também foram abordados.

“Nosso desafio não é criar a tecnologia, pois tenho certeza que nós vamos resolver os grandes problemas da tecnologia. O maior desafio é a capturar e saber gerir os grandes talentos”, destacou Porto.

Outro espaço do Wired Festival foi a sala Engage, que, em um layout parecido com o de um laboratório, chamou o público a participar dos temas abordados. Montagem de drones, publicação de e-books e produção de materiais a partir de sucata foram algumas das atividades desenvolvidas.

Já na Sala Startups, as palestras focaram no empreendedorismo e nos desafios para abrir um negócio e fazê-lo prosperar.

Empreendedores debateram o futuro da educação

wired festival futuro da educação inoveduc
Debate discutiu a educação do futuro

Um dos destaques da Sala Startups foi a mesa-redonda que discutiu a educação do amanhã.

O encontro contou com Carlos Souza, da Udacity, Guilherme Junqueira, da Gama Academy e Bruno Werneck, da Kuadro. O trio debateu a importância da formação continuada, vista como essencial para um profissional nos dias atuais.

“Antigamente nós estudávamos, parávamos e íamos para o mercado de trabalho. Depois se retornava mediante a necessidade de qualificação para uma eventual promoção. Hoje as pessoas que mais têm sucesso são aquelas que entendem a importância da educação contínua ”, destacou Carlos Souza.

Além das palestras e encontros, o festival também contou com atrações interativas e experiências tecnológicas, promovidas pelos patrocinadores do evento.

Houve espaço até para um voo de asa delta com óculos de realidade virtual.

Com participantes de todo país, o Wired Festival segue até as 20h desta sexta-feira, no Instituto Tomie Otake, em São Paulo.

Igor Regis

Igor Regis

igor.regis@folhadirigida.com.br

Ver todas as postagens publicadas por Igor Regis