O que é professor 3.0?

WhatsAppFacebookShare

selo-o-que-eAssim como nas demais profissões, o papel do educador também deve se transformar com a chegada da tecnologia. Se antes o professor era o único detentor do saber, como professor 3.0 passa a ser um mediador e facilitador do conhecimento.

A missão desse professor 3.0 vai muito além de disseminar conhecimento em sala de aula. A interação extra-classe e a utilização de ferramentas na potencialização do ensino estão entre algumas características desses profissionais.

. Professor 3.0: onde estão os melhores cursos para lecionar na era digital

“A democratização do conhecimento distribuído em rede faz com que as informações possam ser encontradas, utilizadas, desenvolvidas e compartilhadas também em rede. Esta é a realidade da nossa era. O professor não tem mais o papel de ‘informante’. A escola não é mais a única fonte de informação e de conhecimento”, disse Leila Adriano Ostoyke, idealizadora da Escola de Professores do Futuro.

Um novo papel para o professor na era digital

As crianças e os adolescentes são confrontados diariamente com assuntos que veem na televisão e nas redes sociais. Por isso, o professor 3.0 tem o papel de ajudar esses alunos, que já chegam na escola informados, a navegar e a filtrar todas essas informações com as quais são bombardeados diariamente.

. Quem é o Professor da Educação 3.0?

“Para isso, o educador deve usar as mais diversas inovações tecnológicas e estar conectado com os seus alunos. Nas redes sociais e também pelas plataformas de ensino a distância. O professor 3.0 é o professor que saberá integrar com eficácia a tecnologia da informação, as redes sociais e o ensino tradicional”, explicou Leila.

 professor3.0-oquee-inoveduc
O professor 3.0 transforma o aluno em protagonista do processo de ensino-aprendizagem (Foto: Divulgação/NeONBRAND em Unsplash)

Assim como toda mudança, no processo de reinvenção de um profissional também há desafios. Segundo Leila, o maior desafio do professor da era digital é formar cidadãos capazes de desenvolver habilidades essenciais para o século 21, como:

  •  resolução de problemas e tomada de decisões
  •  criatividade e pensamento crítico
  • colaboração, comunicação e negociação
  •  curiosidade intelectual e a habilidade de encontrar, selecionar, estruturar e avaliar a informação

“De nada adianta usar as mais modernas tecnologias na sala de aula se não formarmos cidadãos críticos e capazes de viver e conviver na rede. O uso das tecnologias só transforma se instigar a curiosidade e a produção intelectual”, sentenciou Leila Adriano Ostoyke.

 

WhatsAppFacebookShare