Plataforma ajuda a encontrar estágio de acordo com perfil

Juliana Favorito
Escrito por Juliana Favorito

Muitos universitários e recém-formados encontram dificuldades na hora de buscar o primeiro estágio ou emprego. Um dos motivos desse obstáculo é a exigência de experiência na área — o que grande parte das empresas contratantes solicitam. Essa foi uma das razões para o surgimento da plataforma WallJobs.

O portal é voltado para oferta de vagas de estágio, trainee e empregos efetivos para aqueles que estão ingressando no mercado de trabalho. Henrique Calandra, criador da plataforma, explicou que a ideia surgiu após ele mesmo ter encontrado dificuldade na busca por estágio na área de Relações Internacionais.

Um dos objetivos da plataforma é solucionar os principais problemas dos estudantes: ter acesso a vagas exclusivas e receber orientações para se destacar nas empresas. Outra vantagem do WallJobs é ser gratuito para os usuários.

. App de inteligência artificial ajuda estudantes com o dever de casa

O WallJobs também desenvolveu um sistema de recrutamento e seleção dos estagiários que humaniza todo o processo seletivo. Isso porque, de acordo com Henrique, as empresas não estavam se comunicando bem com os candidatos, fazendo com que os mesmo não tivessem um bom desempenho.

“Já ouvimos falar em algumas companhias que ‘tanto faz o estagiário contratado’. E por isso não conseguiam bons desempenhos deles. Já as empresas que se comunicavam bem tinham estagiários que eram sempre promovidos e faziam a diferença. Decidimos fazer dessa uma das premissas do WallJobs.”

Em três anos, startup atrai 1,5 milhão de cadastrados

Segundo Calandra, desde a fundação da empresa, em 2015, já foram oferecidas 45 mil vagas. O WallJobs teve dificuldades no início. Sem aportes nem estrutura, a plataforma também não chegou a participar de processos de aceleração.

A solução encontrada pelo fundador foi “ir vendendo o projeto para as pessoas”, como ele mesmo diz. Porém, a startup já recebeu capital. Segundo Calandra, o WallJobs passou por duas rodadas de investimento.

Henrique considerou um ponto favorável para que as empresas começassem a utilizar a plataforma foi tudo ter iniciado nas universidades.

“Tudo começou dentro de universidades como ESPM, FGV, Insper e USP. E como eles têm muito alunos disputados pelas empresas, elas acabaram vindo até nós por saberem que tínhamos experiência com esse tipo de público.”

A startup, que está no mercado há três anos, já registra 1,5 milhão de cadastrados. Para Henrique, o sucesso em tão pouco tempo se dá pelo fato de todo o desenvolvimento ser voltado para as universidades, universitários e empresas. “Ouvimos muito esses três públicos para ter novas ideias. Entregamos o que o cliente realmente precisa, dentro de nossas condições. E não o que achamos que eles precisam.”

Candidatos são avaliados por meio de competências

Para as instituições que querem divulgar vagas na plataforma, existem diversos planos disponíveis, que variam de R$400 a R$1.700, de acordo com o número de vagas. Além disso, as instituições podem adicionar o Booster WallJobs, que permite o aumento de visibilidade do programa oferecido, atraindo ainda mais jovens de acordo com o perfil da empresa.

. Curso online é baseado na metodologia da escola da ponte

A partir do momento em que a vaga é oferecida, o gestor de Recursos Humanos seleciona os filtros, como por exemplo: faculdade, curso, nível de inglês e período de estudo do candidato. Com isso, o próprio sistema ranqueia os candidatos mais adequados para a vaga.

Além disso, os candidatos ainda são avaliados em dez competências:

  • Comunicação
  • Trabalho em equipe
  • Resiliência
  • Inovação
  • Língua estrangeira
  • Atitude de dono
  • Pensamento analítico
  • Liderança
  • Adaptabilidade
  • Competência técnica

A plataforma possibilita que todo o processo seja 100% digital. Isso permite que a contratação de um estagiário seja sem burocracia e possa ocorrer em 72 horas.

Juliana Favorito

Juliana Favorito

[email protected]