Saiba o que levar em consideração antes de iniciar uma edtech

Letícia Santos
Escrito por Letícia Santos

edtech ganhou força nos últimos anos e se tornou a queridinha no mercado de startups. Eduardo Nogueira, head de aceleração da Sai do Papel, listou alguns passos para quem deseja planejar uma startup, durante Startup Insight & Connection (SIC).

Eduardo explicou que o primeiro passo é identificar se o produto/serviço solucionará um problema real. Ou ainda se a empresa atenderá demandas que os consumidores ainda desconhecem.

“Caso o empreendedor esteja criando novas demandas, ele terá um custo maior e precisará de mais esforço para vender sua ideia”, alertou.

. Investidor da Cedro acredita no rápido crescimento das edtechs

Uma ferramenta que pode contribuir para essa fase de ideação é o Lean Canvas. A plataforma baseada no Business Model Canvas ajuda a  trabalhar e planejar aspectos de maior risco na criação de startups.

“Essa ferramenta estimula os empreendedores a pensarem em diversas soluções para um mesmo problema. Só depois de avaliar todas as opções é definida a estratégia que vai oferecer uma melhor entrega.”

Edtechs devem avaliar seus objetivos antes de se inscrever em programas de aceleração

O head de aceleração da Sai do Papel explicou que após estruturar a ideia do negócio é preciso fazer uma avaliação do mercado, reunir informações sobre possíveis consumidores e definir as vantagens competitivas da empresa. Nesse momento as startups podem ir em busca de programas de aceleração.

. CEO da Wharton Alumini Angels avalia mercado de edtechs como promissor

O gerente de alianças do Oito, Bernardo Estefan, destacou que existem programas para startups que se encontram em diferentes estágios:

• Definição (fase de ideação/estruturação do negócio)
• Validação (fase de aceleração)
• Tração (fase de apoio de gerenciamento financeiro)

Estefan reforçou que um dos pontos mais importantes é avaliar em qual estágio a startup se encontra. Assim, poderão avaliar se o programa para qual estão se inscrevendo atenderá às suas necessidades.

“O ideal é conseguir encaixar a startup em um programa que realmente pode levar a empresa a outro patamar”, enfatizou Estefan.

Uma dica para quem pretende inscrever sua edtech em um desses programas é tentar identificar quais são os objetivos da corporação com a oferta.

. O que é investidor-anjo?

No geral eles estão ligados a quatro fatores: inovação, retorno financeiro, rejuvenescimento de cultura e marketing. Uma forma de avaliar isso é observar qual é a área da empresa que está responsável pelo ciclo de aceleração.

Outra opção é procurar mentores de negócios. Esses mentores possuem experiência para colaborar com a avaliação de mercado, estruturação de modelos de negócios e expansão da rede de relacionamentos dos empreendedores.

Letícia Santos

Letícia Santos

[email protected]