Semesp cria grupo de trabalho para orientar inovações às IES

semesp-ensino-superior-inoveduc
Débora Thomé
Escrito por Débora Thomé

O Semesp (Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino superior no Estado de São Paulo) criou um grupo de trabalho (GT) no fim do ano passado. A missão é colaborar de forma efetiva com a melhoria da qualidade das instituições de ensino superior do país.

. Habilidades socioemocionais chegam ao currículo universitário brasileiro

Por meio do GT de Inovação, o Semesp quer propor uma diretriz para as instituições de ensino superior compreenderem as diferentes dimensões da inovação.

Com isso, será possível apresentar boas práticas e organizar eventos para dar visibilidade a essas práticas, realizar pesquisas sobre o impacto e os benefícios da inovação e publicar artigos sobre o tema.

Reis ainda frisou que os processos de inovação precisam nascer de projetos institucionais que tenham o aval e a participação dos líderes. “A inovação terá impacto e não será algo passageiro se for estruturada em uma perspectiva que indique uma ‘carta de navegação’”, disse o diretor do Semesp.

Integrantes possibilitam uma diversidade de olhares

semesp-grupo-trabalho-inovacao-inoveduc

O grupo de trabalho, em sua primeira reunião, no ano passado (Foto: Divulgação)

Os modelos de organização e concepção, acadêmica e administrativa, das instituições não podem ser sempre os mesmos. A IES precisa saber onde quer chegar. Por isso, o Semesp encontrou um terreno fértil para colaborar por meio do GT de Inovação.

. Liderança, gestão das mudanças e o perigo da falsa cordialidade

Ao convidar seus integrantes, o Semesp desenhou um grupo que permite uma diversidade de olhares e de atuações. Entre os componentes estão gestores, professores pesquisadores, executivos, empreendedores até pessoas que atuam em startups, movimentos makers e especialistas em tecnologia digital e educacional.

“O GT tem a pretensão de pouco a pouco instigar os líderes de IES a realizarem mudanças institucionais consistentes, que tragam sustentabilidade, diminuam a evasão e que melhorem o engajamento dos estudantes e os resultados acadêmicos e administrativos”, disse Fabio Reis.

Os participantes escreverão sobre inovação. A partir das diversas contribuições o GT publicará um texto de referência. O segundo passo será realizar um levantamento de boas práticas e propor uma discussão sobre a importância das IES desenharem um projeto institucional de inovação.

Conheça os integrantes do GT Inovação do Semesp

Débora Thomé

Débora Thomé

Editora-chefe
[email protected]