Soluções inovadoras para o ensino de inglês em sala de aula

be-inoveduc-destaque
Débora Thomé
Escrito por Débora Thomé

O processo de aprendizagem com o auxílio de novas tecnologias é mais rápido, eficaz e divertido. Não à toa, além de ser incentivadas na BNCC (Base Nacional Comum Curricular) para os ensinos infantil e fundamental, ferramentas e plataformas tecnológicas também estão sendo usadas para otimizar o ensino de idiomas.

. Beenoculus lança escola de inglês inovadora chamada Beetools
. Cultura Spot integra ensino de inglês a atividades ‘mão na massa’

O Be – Bilingual Education, único currículo bilíngue do Brasil a trabalhar as disciplinas Science, Geography e Language 100% em inglês, já aposta no apoio de ferramentas inovadoras. Em parceria com a National Geographic Learning, o Be oferece materiais exclusivos e todo o suporte necessário para que a escola se adeque à modalidade de ensino. A realidade aumentada é um, entre os diversos recursos tecnológicos utilizados no Be.

Em sala, os estudantes entram em contato com o 4D+, que combina cartas especiais de papel e aplicativos móveis. O recurso mostra movimentos e sons de dinossauros e outros animais, características dos planetas e detalhes do corpo humano tridimensional.

Outra ferramenta utilizada é o Zu3D, um kit para gravação e edição de vídeos. Possibilita aos estudantes dar vida às suas ideias ou registrar suas criações em sala de aula. O material é usado para desenvolver a criatividade, colaboração e comunicação, habilidades indispensáveis aos profissionais do futuro.

Já a realidade virtual é explorada nas Google Expeditions, uma viagem virtual por diversos locais do mundo. A expedição inclui todos os estudantes, guiados pelo professor, simultaneamente. O que estimula não só o aprendizado do segundo idioma, como a curiosidade e o multiculturalismo.

Como funciona a implementação do Be?

O Be – Bilingual Education transforma escolas comuns em bilíngues. Por meio de uma metodologia interativa, proporciona o desenvolvimento do aluno de forma orgânica na língua inglesa, tornando-a parte da vida dos estudantes.

Um diferencial é o compromisso de preparar estudantes para as habilidades do século 21. Para isso, aplica metodologias como: PBL (Project Based Learning), CBL (Content Based Learning) — que se refere àinterdisciplinaridade — e o STEAM (Science, Technology, Engineering, Arts and Mathematic).

Pertencente ao Green Idiomas — grupo com mais de 45 anos de atuação no ensino de inglês —, o Be está há cinco anos no mercado. Opera em três estados brasileiros: Minas Gerais, Rio de Janeiro e Tocantins. O estudo de ciências e Geografia pelo Be eleva a escola à condição de bilíngue.

Algumas escolas parceiras do Be:

  • Santo Agostinho Leblon
  • Santo Agostinho Novo Leblon
  • Regina Pacis
  • Santo Agostinho Vale dos Cristais
  • Santo Agostinho Belo Horizonte
  • Santo Agostinho Contagem
  • CESFA (Palmas)

Microcamp utiliza AI e holografia no ensino de inglês

A rede de escolas de informática e inglês Microcamp, também aposta na disrupção. Seu novo curso de Inglês Ido 2.0, recém-lançado utiliza de inteligência artificial (AI) e holografia.

. Edtech brasileira é reconhecida mundialmente no South Summit

O dispositivo de inteligência artificial da Microcamp é o AmazonEcho, famoso pela voz da Alexa. Além de ser capaz de responder a qualquer pergunta em inglês, em tempo real, reconhece os alunos e interage em sala ou em casa. O Ido 2.0 também traz a técnica da holografia como ferramenta de aprendizagem. Com isso, transporta autores dos livros para dentro da sala de aula, proporcionando uma experiência imersiva.

. Grupo SEDA lança curso gratuito de inglês online em Libras 

A mesma tecnologia permite experimentar o prisma mágico. Incluído no material didático, a pirâmide holográfica permite assistir a filmes no celular com simulação holográfica.

Ao apresentar imagens que proporcionam a ilusão de três dimensões, a simulação holográfica tem um grande potencial educativo e de entretenimento”, disse Helder Hidalgo, diretor acadêmico da Microcamp, responsável pelo desenvolvimento do novo curso e da tecnologia de holografia.

Para Hidalgo, a holografia será um bom aliado para tornar o processo ensino-aprendizagem mais dinâmico. O diretor acredita que a tecnologia tornará os alunos mais motivados, favorecerá a construção de um ambiente educacional colaborativo e interativo.

Débora Thomé

Débora Thomé

Editora-chefe
[email protected].com.br