Conheça as edtechs confirmadas na Campus Party Brasil

Campus Party Palco Inoveduc
Juliana Favorito
Escrito por Juliana Favorito

A 11ª edição da Campus Party Brasil acontece entre os dias 30 de janeiro e 4 de fevereiro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. Diversas startups participarão do evento no programa Startup & Makers, que é dividido em dois grupos: Growth Stage e Early Stage.

O primeiro é para projetos em estágio avançado, com equipe formada, produto lançado que tenha ou não recebido algum tipo de investimento. Já o segundo é para startups que não estão avançadas, mas que já tenham protótipo criado e testado e nenhum patrocínio.

. Campus Party Brasil anuncia novidades na programação

Uma das startups que participará do evento é a Studying. Seu principal produto é uma plataforma elaborada para ajudar estudantes de todos os níveis de escolaridade a potencializar o desempenho nos estudos.

O responsável pelo projeto, Fernando Mendes, disse que a ideia para desenvolver o projeto surgiu ao acompanhar os estudos do filho durante o ensino fundamental II. “Montávamos uma planilha com a programação semanal de estudos. Nela constavam os assuntos a serem estudados, horários, além de um espaço para anotar o que era realizado em cada sessão de estudo.”

Startup Jovens Gênios ajuda no acompanhamento do desempenho das crianças

Jovens Gênios é outra startup que também estará presente na Campus Party. Seu objetivo é ajudar os pais a acompanhar o desempenho dos filhos e descobrir em quais assuntos a criança tem maior dificuldade, além dos principais interesses.

. Conheça o TED, pós gratuita para professores da rede pública

Bernard Caffé, um dos fundadores, lembrou que a plataforma surgiu devido a uma necessidade do sócio Fernando Costa em motivar os irmãos a estudar.

“Os irmãos do meu sócio não gostavam de estudar e se sentiam desmotivados pela metodologia tradicional de ensino. Como Fernando não tinha muito tempo para ajudá-los, procurou uma plataforma para colocar as crianças para estudar por meio de vídeos, de forma divertida. Quando começou a pesquisar, viu que não tinha isso no mercado.”

Ambas as startups estão no grupo Early Stage. Todo o dinheiro investido nessas plataformas foram recursos dos próprios fundadores. Porém, a Jovens Gênios firmou uma parceria com a ONG Mundo Novo, sediada em Mesquita, no Rio de Janeiro.

A parceria, sem fins lucrativos, surgiu porque Bernard Caffé trabalha na ONG. As crianças terão acesso à plataforma de maneira gratuita para explorar as ferramentas dos Jovens Gênios.

“Começaremos essa parceria de forma efetiva em fevereiro. Esse será o nosso primeiro piloto para testes da plataforma. Em todo o nosso ciclo de aprendizagem usamos diversas teorias pedagógicas. Queremos ver isso na prática”, anunciou Caffé.

Como as startups podem ajudar na educação

Ter um bom planejamento semanal, melhor organização do tempo e efetivo acompanhamento contribui para o incremento do desempenho acadêmico. É o que pensa Fernando Mendes, da Studying. “O projeto pretende otimizar a comunicação entre família e escola. Seja por mensagens diretas, notificações de eventos oficiais ou pela disponibilização das notas bimestrais.”

Outro modo de a plataforma contribuir é fornecendo uma ferramenta prática e objetiva para sistematizar o processo, usando as tecnologias e dispositivos com os quais as novas gerações estão cada vez mais conectadas.

Já Bernard, do Jovens Gênios, acredita que a metodologia da sala de aula invertida, onde a criança assiste um vídeo e constrói a linha de raciocínio junto com o professor é o que está crescendo.

“Os Jovens Gênios sendo uma plataforma onde a criança pode jogar, treinar e compartilhar com os amigos, é uma maneira de aumentar o engajamento.”

Confira quais edtechs estão confirmadas na Campus Party

 

Juliana Favorito

Juliana Favorito

[email protected]