Universidades catarinenses investem em impressoras 3D

Letícia Santos
Escrito por Letícia Santos

A medida em que a indústria 4.0 se consolida ao redor do mundo, esse novo modelo de produção gera impactos também no setor educacional. Em Santa Catarina, por exemplo, impressoras 3D estão sendo utilizadas em universidades com dois propósitos: modernizar o ensino superior e incentivar pesquisas.

No Centro Universitário de Brusque (Unifebe) os alunos podem materializar suas ideias no Innovation Center In³D, um laboratório de fabricação digital que conta com oito máquinas de impressão 3D. Esse foi o primeiro centro de inovação estruturado pela MakerBot Industries, representada no Brasil pela Wishbox Technologies.

Denis Boing, coordenador do laboratório e do curso de Engenharia Mecânica da Unifebe, destacou que a ferramenta pode ser utilizada por estudantes de diversos cursos. “O In³D está sendo muito bem aproveitado pelos alunos da Unifebe. Os equipamentos são utilizados em diversas disciplinas, cursos e projetos, não só da área de ciências, mas também na comunicação, como é o caso do curso de Publicidade e Propaganda, por exemplo.”

. Impactos da indústria 4.0 na cultura digital
. Rede estadual do Paraná adota novas tecnologias educacionais

Outra instituição que adotou a impressora 3D como ferramenta de ensino é a Faculdade Avantis. Recentemente a instituição investiu, aproximadamente, R$ 3,4 milhões, no em um laboratório de Odontologia Digital. Além das impressoras 3D, os estudantes terão acesso a scanners intra-orais e fresadoras. O trabalho é supervisionado pelos professores.

Representante da Wishbox Technologies considera mercado promissor

Alunos podem elaborar seus protótipos sob a orientação dos professores (Foto: Divulgação/Unifebe)

A faculdade também utiliza os equipamentos comercializados pela Wishbox Technologies para outros cursos. “As impressoras 3D, aqui na Avantis, atualmente são usadas em projetos práticos nos cursos de Engenharia Elétrica e Mecânica. Os cursos de engenharias também podem desenvolver protótipos para automóveis, por conta da nossa parceria com a Mobilis Carros Elétricos, com o auxílio da tecnologia em impressão 3D”, explicou Thiago Luiz Berlim, gerente de Inovação da Faculdade Avantis.

Para Tiago Marin, diretor de marketing da Wishbox Technologies, esse mercado deve crescer cada vez mais no país.

“É muito importante para as universidades terem acesso a esse tipo de tecnologia. Ela vem como um novo recurso didático, moderno, que estimula a interatividade e a dinâmica no ambiente de ensino. A impressão 3D tem muita facilidade e flexibilidade em sua utilização. Assim, pode ser aplicada aos mais variados usos e áreas de estudo. Isso vai revolucionar o sistema de ensino como conhecemos hoje.”

Veja também

Letícia Santos

Letícia Santos

[email protected]